TAP afirma que não compete às companhias financiar a mobilidade dos residentes da Madeira

20 Nov 2017 / 17:28 H.

Face à publicação de algumas notícias relativas a eventuais alterações no regime de mobilidade dos residentes e estudantes da Região Autónoma da Madeira, que alegam que “TAP já aceita valor parcial”, adiantando que “A Administração da TAP está disponível para receber apenas a parte das passagens dos residentes”, a TAP esclarece que nunca foi contactada ou ouvida pelos autores das notícias em causa e não se pronunciou sobre o assunto.

Uma nota emitida pela Direcção de Comunicação da TAP, adianta ainda “que é seu entendimento que não compete às companhias aéreas, num mercado liberalizado, como é o das rotas da Madeira, financiar a mobilidade dos residentes e estudantes, cabendo essa atribuição e responsabilidade às entidades públicas”.

“A TAP está empenhada, como sempre, em servir da melhor maneira a Região Autónoma da Madeira e os madeirenses, oferecendo as melhores opções de voos nas ligações aéreas ao Continente. Tal compromisso não pode ser confundido, no entanto, com o assumir de obrigações de financiamento da mobilidade, que não cabem às companhias aéreas.

Em nota a TAP afirma que “colaborará, como sempre colaborou, em diálogo com o Governo Regional e com o Governo da República, de forma construtiva, na procura das melhores soluções que sirvam a Madeira e os madeirenses”.

Outras Notícias