Reservas no voo charter da Páscoa decorreram sem incidentes

Todos os que fizeram fila na Loja do Cidadão tiveram direito a uma ou duas reservas. Dos 165 lugares sobram menos de duas dezenas

14 Mar 2018 / 11:19 H.

A reserva de bilhetes do voo charter para a Páscoa, que visa trazer estudantes madeirenses para o período festivo, decorreu dentro da normalidade, com a longa fila que se formou inicialmente - antes das portas da Loja do Cidadão abrirem - a avançar lentamente.

Segundo João Lomelino de Freitas, director da Loja do Cidadão, desde as 7 horas da manhã foram distribuídas senhas e feita a contagem da intenção de reservas pretendidas, evitando assim qualquer atropelo. As pessoas, sobretudo mães e pais, foram sendo chamadas e tratada a reserva ao ritmo de cerca de cinco minutos cada.

Dos 165 lugares disponíveis nos voos dos dias 23 de Março (vinda) e 3 de Abril (regresso), estavam asseguradas cerca de 145, restando, por isso, duas dezenas. Muito provavelmente ainda hoje os lugares disponíveis deverão ser completos, o que significa que os dois voos charter (o da TAP, que gerou polémica) denominados ‘Páscoa na Madeira 2018’ virão na máxima capacidade, trazendo cerca de 310 estudantes madeirenses.

O processo de reserva neste voo que será operado pela SATA é feito por um intermediário, mas depois e a companhia que fará o processo de venda, enviando SMS para pagamento em Multibanco no espaço de 24 horas, sendo o bilhete enviado depois por e-mail.

Outras Notícias