Quatro personalidades recebem a Insígnia Autonómica de Bons Serviços

13 Jun 2018 / 22:48 H.

A Insígnia Autonómica de Bons Serviços visa distinguir “ato ou serviços meritórios praticados por cidadãos portugueses ou estrangeiros no exercício de quaisquer funções públicas ou privadas”, em “actividades industrial, comercial, pecuária, florestal e agrícola, assim como obras” ou “actividades cívicas e profissionais”

Vão ser agraciados com a Insígnia Autonómica de Bons Serviços: Rui de Sande Mexia Aires de Campos de Barros Mendes Moreira (a título póstumo – cordão); Jorge Domingos de Jesus (cordão); Maria Martins Gonçalves Góis Ferreira (cordão); Maria João Machado de Ornelas Gonçalves Teixeira (medalha).

Rui de Sande Mexia Aires de Campos de Barros Mendes Moreira (a título póstumo)

Ruy Ameal, assim conhecido pelos amigos, nasceu na freguesia de Almedina, Coimbra, na família do conde Ameal, donde advém a alcunha pela qual ficou conhecido, a 8 de fevereiro de 1920 e faleceu, no Funchal, a 20 de abril de 1990.

Estudou no Liceu Nacional Gil Vicente. Chega à Madeira no ano de 1942 para cumprir o serviço militar, onde acaba por se radicar.

Do seu percurso profissional constam vários cargos de chefias privadas e públicas. Entre 1959 e 1967, foi Gerente da Companhia de Seguros Ultramarina no Funchal, e, entre 1967 e 1972, assumiu as funções de Director da mesma Ultramarina em Luanda para Angola e São Tomé. Foi também Director, entre 1972 e 1975, da Companhia de Seguros Atlas em Angola – Luanda.

Foi, ainda, Administrador da empresa Jornal da Madeira.

Na área do ensino, foi professor em regime eventual de Educação Física na então Escola Comercial e Industrial do Funchal nos anos lectivos de 1957 a 1958, 1958 a 1959, 1975 a 1976, 1976 a 1977.

Foi também, nos anos sessenta, treinador de hóquei patins, no Clube Desportivo Nacional. Também se dedicou à ginástica aplicada sendo de relevar o seu papel na dinamização da Classe de Ginástica Aplicada do Ginásio Clube da Madeira.

No ano de 1984, assumiu o cargo de Chefe de Divisão de Actividades da Direcção Regional dos Desportos, criada em 1982, da então Secretaria Regional da Educação e Cultura, onde se manteve, até 8 de fevereiro de 1990, data da sua aposentação.

Na sua actividade cívica, entre outras organizações, foi membro fundador do Agrupamento dos Escutas Marítimos de Luanda e de Benguela, tendo sido Chefe Providencial Adjunto do Corpo Nacional de Escutas de Angola bem como membro fundador do Agrupamento n.º 248 de Escutas Marítimos no Funchal do Corpo Nacional de Escutas.

Foi, ainda, a 19 de dezembro de 1979, membro fundador e Coordenador da Coluna de Socorro Henry Dunant da Delegação Regional da Cruz Vermelha Portuguesa.

O seu percurso profissional e cívico é um exemplo para todos, sendo inúmeras as referências que celebram o estilo como galvanizava os jovens em torno do exigente processo do desenvolvimento da atitude ideal da pessoa humana.

Jorge Domingos de Jesus

Nasceu na freguesia de Santa Maria Maior, concelho do Funchal, a 6 de Julho de 1931.

Fez o curso Complementar de Comércio na Escola Industrial e Comercial António Augusto de Aguiar.

Começou a trabalhar, muito novo, passando por dois empregos antes daquele que lhe deu a oportunidade de seguir a sua opção de estudos – o mundo do comércio e da contabilidade.

Foi em 1948 quando entrou para o quadro da empresa João Teixeira dos Santos, Lda., que arrancou a carreira que pretendia trilhar. Nesse ano, iniciou a Contabilidade em Nome Individual, com duas escritas. Fez sempre das oportunidades o enriquecimento do seu conhecimento e crescimento. Em 1955, ligou-se ao negócio da Panificação quando se tornou Guarda-Livros da União dos Industriais de Panificação, Lda., sector do qual se manteve próximo mesmo depois de se ter estabelecido por conta própria. Aí esteve até alguns dos sócios o proporem para responsável da escrituração e contabilidade da Sociedade Mercantil Insular Lda., trabalho que iniciou em 1957.

A sua carteira de clientes próprios cresceu com os contactos adquiridos neste meio empresarial. Em 1963, a publicação do decreto-lei do Código da Contribuição Industrial permitiu-lhe passar à situação de regime livre na U.I.P., que criou a figura do técnico de contas, lugar que ocupou até as mudanças impostas pela Revolução de Abril de 1974, que puseram termo a esta associação. Em 1982 era sócio da empresa E.P.D.M. (Empresa de Processamento de Dados da Madeira, Lda.) que integrava, para além de si próprio em nome individual, a Empresa Previsão. Em 1993 constituiu a ECAM – Empresa de Consultoria e Assessoria Empresarial da Madeira, Lda., que desde então tem vindo a desenvolver a sua actividade na prestação de serviços de contabilidade e assessoria a empresas na Região.

É membro, desde 1977, da APOTEC – Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade.

No campo cívico e social, integrou os órgãos sociais de diversos clubes e associações, tais como, o Futebol Clube Bom Sucesso (1954-58), onde foi dirigente e exerceu o cargo de tesoureiro e, em 1980, a Direcção do Clube Naval do Funchal. Também integrou as associações de pais das escolas onde estudaram os seus filhos: Associação de Pais do Colégio Salesiano, motivo que o levou a integrar o grupo de pais de alunos deste colégio que se movimentaram para criar uma escola de orientação religiosa de ensino secundário que veio a ser a APEL.

É membro da colectividade denominada Academia do Bacalhau, tendo sido entronizado pelo núcleo da Madeira, aquando do congresso internacional realizado em Joanesburgo em 2009. É, ainda, sócio do Clube Futebol União, desde a década de 50, altura em que se tornou associado da Associação de Socorros Mútuos 4 de Setembro de 1862.

Maria Martins Gonçalves Góis Ferreira

Nasceu na freguesia de Bogas de Cima, Fundão, a 27 de julho de 1944.

Concluiu o Bacharelato em Política Social, pelo então Instituto de Estudos Sociais, actual Instituto de Ciências do Trabalho e da Empresa e a licenciatura em Estudos Superiores Especializados em Segurança Social, pela Universidade Internacional.

Em abril de 1970, ingressou na denominada Caixa de Previdência e Abono de Família do Distrito do Funchal.

Ao longo do seu percurso profissional exerceu vários cargos públicos de chefia e integrou diversos grupos de trabalho e comissões, recebeu vários louvores públicos pelas funções desempenhadas e foi, ainda, formadora convidada de diversas instituições públicas e privadas.

Em 1977, foi nomeada Membro da Direcção Regional de Saúde Pública e, em 1978, nomeada para vogal do Conselho de Gerência do Centro Regional de Saúde Pública, tendo colaborado nos trabalhos de transferência dos Serviços Periféricos e na preparação dos diplomas enquadradores, entre outros.

Em 1993, é nomeada Vogal do Conselho de Administração do Centro Regional de Saúde e, em fevereiro de 1997, é designada para prestar apoio técnico no Gabinete do Secretário Regional dos Assuntos Sociais e Parlamentares.

Foi nomeada, em abril de 1997, pelo Governo Regional, como Encarregada de Missão, cargo que manteve, até 2003, data da sua aposentação.

Em novembro de 2003, foi nomeada Coordenadora da Rede Regional de Cuidados Continuados Integrados e respectivo Projecto-piloto, cargo que exerceu, até março de 2006, tendo efectuado diversas visitas de estudo a várias Unidades de Cuidados Continuados, tais como, em 2003, à Unidade do Hospital Magalhães, no Porto, e à Unidade da Santa Casa da Misericórdia de Arruda dos Vinhos.

Foi a responsável directa pela criação das Unidades de Cuidados Continuados no edifício João d’Almada, freguesia do Monte, em Santo António e na Calheta.

Participou, também, em missões de trabalho, mormente, à Catalunha, para conhecer o Modelo de Saúde Catalão, tendo visitado hospitais locais e centros de saúde primários.

Fez parte de várias associações cívicas, onde exerceu vários diversos cargos, destacando-se a presidência da Comissão Instaladora da Causa Social- Associação Para a Promoção da Cidadania, constituída a 8 de setembro de 2009, cuja missão é criar as respostas sociais necessárias, de forma a minorar os problemas das pessoas que delas necessitam, reduzindo os riscos sociais que as afectam e promovendo o seu desenvolvimento integral. É Presidente da respectiva Direcção, desde 28 de maio de 2010, estando, actualmente, no terceiro mandato sucessivo (2016-2019).

Maria João Machado de Ornelas Gonçalves Teixeira

Nasceu na freguesia do Monte, concelho do Funchal, a 9 de dezembro de 1950.

Licenciou-se em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, em Fevereiro de 1978.

Iniciou, a 1 de março de 1978, a sua actividade profissional no Hospital Central do Funchal, obtendo, a 27 de setembro de 1994, o nível de Assistente Graduada da especialidade de Pediatria neste Hospital, onde se manteve, maioritariamente em exclusividade de funções, até 1 de abril de 2012, data da sua aposentação.

Ao longo da sua carreira participou em diversos grupos de trabalho e comissões, no âmbito das suas competências médicas.

Foi responsável pela área de Oncologia Pediátrica do Serviço de Pediatria do Hospital do Funchal, onde foi criado um Sector individualizado de Oncologia Pediátrica, dentro do referido Serviço, com espaço próprio para Hospital de Dia. É de salientar que o apetrechamento inicial desta unidade foi financiado pela “Acreditar-Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro”, cuja existência na Região Autónoma da Madeira se encontra intimamente ligada ao seu esforço e dedicação pessoais.

De relevar o seu papel na criação de uma equipa multidisciplinar de Oncologia Pediátrica (com médicos, enfermeiras, educadoras, professoras, psicólogo, pedopsiquiatra e assistente social) posta ao serviço do tratamento e reinserção dessas crianças.

Na Oncologia Pediátrica foi responsável pelo Registo Oncológico, tendo continuado a desempenhar essa tarefa, mesmo após a sua aposentação.

Merece particular referência, no âmbito do Registo Oncológico Pediátrico (ROP) a sua colaboração com a responsável pelo RORAM (Registo Oncológico Regional), na elaboração de um estudo estatístico sobre Cancro Infantil na Madeira no período de 2008 a 2015. Foi esta a primeira vez que se elaborou um estudo desta natureza, sobre o Cancro Infantil na Madeira. Este estudo foi publicado e encontra-se disponível para consulta no site do SESARAM.

Foi sócia fundadora da instituição “Acreditar-Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro” e Presidente do Núcleo Regional da Madeira durante 11 anos, período durante o qual deu um contributo relevante para que esta associação pudesse cumprir a sua missão, ou seja, para melhorar a qualidade de vida das crianças com cancro e das suas famílias, promovendo a humanização da assistência, servindo de porta-voz das necessidades específicas destas crianças, tanto a nível social como cívico.

Outras Notícias