PCP-Madeira congratula-se pela luta que conseguiu garantir aumento nas pensões

30 Nov 2016 / 17:36 H.

“O PCP está hoje a contactar com as populações, para valorizar a luta dos reformados e pensionistas e a intervenção do PCP que garantiu o aumento das pensões, já em Janeiro de 2017”. As palavras são do dirigente regional do PCP-Madeira, Ricardo Lume, proferidas hoje, na iniciativa que hoje decorreu no Largo

do Chafariz, no Funchal.

“A intervenção do PCP na discussão do Orçamento de Estado para 2017 na especialidade foi fundamentar para garantir um aumento em todas as pensões. As propostas do PCP garantiram o maior aumento das reformas nas últimas décadas. Cerca de 2 milhões e 600 mil reformados e pensionistas (98%) terão uma actualização das suas reformas a partir de Janeiro de 2017. Haverá um aumento de 0,7% para todas as pensões até 844 euros e 30 cêntimos e um aumento de 0,2% para todas as pensões superiores a 844 euros e 30 cêntimos até aos 2532 euros”, disse.

“Também foi possível com a intervenção do PCP garantir um Aumento extraordinário nas pensões de 10 euros a cerca de 1 milhão e 500 mil reformados cujas pensões estiveram congeladas entre 2011 e 2015. Nas pensões mínimas regista-se também um aumento extraordinário, no valor de 6 euros, embora não atinjam o valor de 10 euros, como o PCP propôs, foi a nossa intervenção que garantiu este aumento”, acrescentou.

“As propostas que apresentamos e que estão inscritas no orçamento de 2017, não são só justas, mas também são necessárias; porque dá um sinal positivo e recupera parte do poder de compra perdido entre 2010 e 2016; porque para quem tem pensões mais baixas, este valor representa poder comprar bens de primeira necessidade. Em contrapartida, para as restantes pensões representa um sinal de valorização de quem descontou para a segurança social ao longo de uma vida, para ter direito a uma pensão que garanta as suas necessidades”, concluiu Ricardo Lume,

Tópicos

Outras Notícias