PCP acusa Governo da República de estar a “enganar os madeirenses” na questão do hospital

20 Abr 2018 / 18:30 H.

O PCP exigiu, hoje, ao Governo da República que diligencie no sentido de que as obras para a construção do novo hospital da Madeira esteja no terreno até ao final da legislatura, que é no próximo ano. “Para tal é preciso que o Governo da República contribua para o lançamento do concurso público e garanta o modelo de financiamento”, escreveu o partido no documento de apoio à conferência que promoveu na ALM.

O PCP, que na Assembleia da República suporta o Governo de António Costa, não hesita em afirmar que “o Governo da República (...) está a enganar os madeirenses e proto-santenses com falsas promessas”.

O PCP apresentou um conjunto de iniciativas no parlamento madeirense e no nacional, que visaram fazer com que o Governo da República financie e actue, de facto, de forma a viabilizar a construção do novo hospital. Mas, até agora, sem o efeito pretendido.

“A verdade é que aos serviços públicos de saúde existentes na Região Autónoma da Madeira continuam a faltar medidas geradoras de melhor capacidade de funcionamento, promotoras de eficiências e regeneração do Serviço Regional de Saúde de forma a melhorar os indicadores de saúde das populações desta Região. Ou seja, quando à concretização das deliberações do Parlamento, o Governo da República nada fez!

O que deveria ser dever do Governo da República no cumprimento das Resoluções e da Lei não passou de um festival de falsas promessas.”

O PCP concluiu garantido que “desencadeará imediatamente um conjunto de iniciativas políticas para dar corpo à exigência de que o Novo Hospital para a Madeira seja uma realidade e para que arranquem as obras o mais rapidamente possível” e ficou a determinação: “Já chega de falsas promessas! Basta de adiamentos!”

Outras Notícias