Mais Porto Santo defende mais apoios da Câmara ao Rali Porto Santo Line

17 Abr 2018 / 11:57 H.

Atendendo ao êxito alcançado durante o Rali Porto Santo Line, reconhecido por todos, sobretudo em termos sociais e económicos, o movimento Mais Porto Santo defende a necessidade de um maior investimento por parte da Câmara Municipal do Porto Santo, para que este evento continue a fazer parte do Campeonato Regional de Ralis.

“Já foi anunciado que para 2019, o regional de ralis será reduzido de oito para sete provas e não nos podemos dar ao luxo de perdemos esta oportunidade de ficarmos sem um evento que tem uma grande importância para os porto-santenses e para a nossa economia, evento este que ajuda a esbater a sazonalidade”, refere o Mais Porto Santo, entendendo que a autarquia loca deva “reforçar o apoio financeiro que dá a esta prova”, expressa o vereador José António Castro, líder do movimento de cidadãos, apesar de estar consciente dos constrangimentos financeiros com que se debate o executivo camarário.

“Bem sabemos que as dificuldades de tesouraria são imensas, resultado das gestões danosas da última década, mas há que encontrar uma fórmula de melhorarmos o apoio ao rali. Os cerca de quatro mil euros que foram investidos pela Câmara são manifestamente curtos. A manter-se este tipo de apoios corremos o sério risco de sermos afastados do campeonato”, antevê José António Castro, sublinhando que o patrocínio da Porto Santo Line não é suficiente para lutar contra aqueles que estão contra o rali na Ilha.

“Para além dos ‘lobbies’ de outras organizações, chegou ao nosso conhecimento de que houve pilotos que tentaram boicotar o Rali do Porto Santo, antes da prova acontecer, e que tentaram convencer outros a não se inscreverem, pelos custos que esta prova acarreta. Não duvidamos de que as despesas são superiores, quando comparados com outros ralis, pela distância, daí ser fundamental um maior investimento para não sermos penalizados”, diz o vereador do Mais Porto Santo, solicitando, também, contributos da Direcção Regional para a Administração Pública do Porto Santo e do deputado do Porto Santo que foi eleito pelo PSD à Assembleia Legislativa da Madeira.

“Como todos nós sabemos, gostam de aparecer, de conviver mas não se comprometem com nada, nem ajudam a encontrar soluções. Está na hora de, todos juntos, desenvolvermos um projecto que permita consolidar o nosso rali no campeonato, porque é extremamente importante para Porto Santo. Derrama muito dinheiro na economia, ajuda os nossos comerciantes e empresários e é uma festa para os porto-santenses”, frisa.

A um outro nível, José António Castro defende que a Câmara Municipal do Porto Santo tem de salvaguardar a agenda desportiva de acordo com os interesses dos porto-santenses e não o contrário. “Não aceitamos nem compreendemos a realização de duas importantes manifestações desportivas no mesmo fim-de-semana, como aconteceu no passado, com o Rali e a Meia Maratona. Aqui, a Câmara tem de se impor na calendarização dos eventos e revelar uma posição mais activa para que os mesmos se espalhem pelo tempo e ajudem, naturalmente, a esbater a sazonalidade, valorizando o tecido empresarial”, salienta o Mais Porto Santo.