Madeira foi a única região a perder dormidas em Dezembro

Ainda assim, diminuição foi relativa (-0,3%) pois não influenciou melhor ano de sempre, com mais de 7,5 milhões de dormidas e aumento de 1,9% em 2017 face a 2016

14 Fev 2018 / 11:29 H.

A hotelaria na Região Autónoma da Madeira foi a única do país a perder dormidas em Dezembro de 2017 face a igual período de 2016. Ainda assim, a quebra foi mínima (-0,3%), o que para todos os efeitos não influenciou o melhor ano de sempre neste sector, com mais de 7,5 milhões de dormidas e um aumento de 1,9% perante 2016 que já tinha sido o melhor.

Os dados acabam de ser divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística e revelam, também, que foi nas dormidas de não residentes (-1,4%) em Dezembro que se deveu a perda relativa, porque do lado dos residentes em Portugal, o aumento foi de 9,3% no mês da ‘Festa’.

Em Dezembro, também a estada média diminuiu na Madeira em 3,9%, de 5,29 noites no mesmo mês de 2016 para as 5,08 noites, registando-se a segunda maior quebra atrás do Algarve.

A taxa de ocupação-cama, que é a maior do país com grande destaque, teve em Dezembro uma quebra ligeira de 0,5%, desde os 48,4% em 2016 para 47,9% no último mês do ano passado.

Estas diminuições não afectaram os proveitos do hotéis, uma vez que tanto os proveitos totais (25,2 milhões de euros) como os proveitos de aposento (16,4 milhões de euros) tiveram excelentes resultados, com +6,7% e +9,6% respectivamente.