Lopes da Fonseca quer reunir-se com Marcelo sobre o Princípio da Continuidade Territorial

16 Abr 2018 / 15:20 H.

António Lopes da Fonseca, presidente do CDS-PP na Madeira, reuniu-se esta manhã com o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, para abordar questões regionais, em particular a mobilidade área entre o continente e a Madeira e as ligações aéreas entre a Madeira e o Porto Santo, o cancelamento de voos e o princípio da continuidade territorial.

A reunião, realizada a pedido do CDS-PP Madeira, levou António Lopes da Fonseca e Rui Barreto ao edifício do Governo Regional onde recolheram informações do ‘número dois’ do Executivo sobre os assuntos referidos.

António Lopes da Fonseca entende que “todos os partidos na Região devem estar unidos na defesa dos interesses dos madeirenses”, em particular obrigando a TAP a cumprir o serviço público aéreo de e para a Região, dever a que está obrigada por ser uma empresa com capitais públicos.

Outra matéria em que o CDS quer consensos entre todos nos partidos, Governo Regional e Assembleia tem a ver com a questão do princípio da continuidade territorial e é por isso que o CDS, pediu já uma reunião ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para ver esse princípio constitucional respeitado pelo Governo da República.

Lopes da Fonseca diz que o CDS tem uma posição muito clara sobre o subsídio social de mobilidade e estará “sempre contra qualquer limitação deste subsídio, contra tectos máximos ao subsídio e contra qualquer limitação que impeça os madeirenses e estudantes de poderem escolher a hora da viagem”. Assuntos que, no seu entender, devem ser resolvidos pelo Governo da República.

A este respeito relembrou uma resolução aprovada por unanimidade na Assembleia Regional que está neste momento na gaveta da Assembleia da República, em Lisboa. “Consideramos que chegou a altura dos grupos parlamentares da AR, que tenham deputados da Madeira, possam chamar a si esta resolução que resolveria o problema dos transportes aéreos da Madeira para o Continente”.

Foi ainda abordada uma matéria do interesse dos portosantenses, relacionada com o novo concurso para as ligações aéreas entre a Madeira e o Porto Santo, no sentido de haver em breve uma solução definitiva no que diz respeito ao transporte aéreo entre as duas ilhas.