Liliana Rodrigues reuniu 60 jovens socialistas das Regiões Ultra-Periféricas

07 Mar 2018 / 19:17 H.

As juventudes socialistas das Regiões Ultra-Periféricas da Madeira, dos Açores e das Canárias reuniram-se hoje, no Parlamento Europeu, para debater sobre as problemáticas comuns que enfrentam estes territórios. A iniciativa, que reuniu cerca de 60 jovens, foi organizada pela euro-deputada Liliana Rodrigues.

A euro-deputada socialista afirmou que era necessária a “voz destes jovens ser ouvida no Parlamento Europeu”, lembrando que o grupo que representam na sociedade foi um dos que saíram mais prejudicados com as políticas de austeridade que “fizeram tanto mal a Portugal, mas também a outros países, como foi o caso de Espanha e da Grécia”.

Na recém-inaugurada sala Mário Soares, as altas taxas de desemprego jovem e trabalho precário, os índices de violência doméstica e no namoro, as altas taxas de abandono escolar, os problemas de inclusão de jovens migrantes, o acesso a programas culturais e formação, o racismo, a xenofobia, as questões de direitos humanos e as questões de acessibilidade foram alguns dos temas em destaque na discussão.

Liliana Rodrigues lembrou o papel da União Europeia no combate a algumas destas problemáticas, “que tem tido um papel muito especial com a juventude”, com o programa Garantia para a Juventude e com outros quadros, focados para o emprego e empreendedorismo juvenis, por exemplo. A euro-deputada afirmou que na Comissão do Desenvolvimento Regional, uma das suas áreas de trabalho, há “uma preocupação muito especial com o financiamento para o emprego jovem” e que agora, com o novo programa, o objectivo é “reforçar os fundos europeus destinados” para esse fim.

Liliana Rodrigues falou ainda da questão da mobilidade, alertando que os jovens madeirenses “continuam a ter dificuldades em fazer coisas muito simples, como regressar a casa nas férias”. Olavo Câmara, líder da Juventude Socialista da Madeira (JS-M) vincou a mesma posição. Durante a sua intervenção, o jovem socialista afirmou não compreender “como é que na Madeira, sendo a mobilidade um dos pilares da UE, após todo este tempo, ainda continuamos a debater o mesmo assunto”, dando de seguida os exemplos: “sai mais barato a um madeirense ir a Londres ou a Bruxelas do que pagar uma viagem para Lisboa”.

Para além da parlamentar socialista e do líder da JS-M, a discussão contou, também, com a presença dos euro-deputados Ricardo Serrão Santos (Açores) e Juan Fernando López Aguilar (Canárias) e do Secretário Nacional da Juventude Socialista, Fábio Pinto.

Segundo dados da Comissão Europeia, desde janeiro de 2014, 16 milhões de jovens participaram em programas associados à Garantia para a Juventude e 10 milhões aceitaram uma oferta nesse mesmo programa, a maior parte ofertas de emprego.

Outras Notícias