Julgamento do homem que violou e matou a mãe decorre à porta fechada no Funchal

30 Jan 2018 / 11:18 H.

Um homem de 46 anos acusado de violar, roubar e matar a própria mãe começou hoje a ser julgado no Funchal à porta fechada devido à brutalidade dos factos.

O arguido responde pela prática de um crime de ofensa à integridade física qualificada, outro de violação na forma agravada, um de homicídio qualificado e um de tráfico de estupefacientes.

A vítima tinha 79 anos e o filho, depois de ter sido ouvido em interrogatório judicial, a 28 de março de 2017, ficou em prisão preventiva a aguardar julgamento, que hoje teve início, mas decorre à porta fechada.

Os crimes ocorreram a 25 de março do ano passado e, segundo a acusação do Ministério Público, homem atacou a sua mãe, na residência desta, na freguesia do Arco da Calheta, na zona oeste da ilha da Madeira, casa onde pernoitava desde que havia regressado do Reino Unido, onde esteve emigrado, no dia 11 do mesmo mês.

A acusação sustenta que o homem se “apoderou, pela força física, dos brincos da mãe, tendo-a ainda esfaqueado, violado e lhe provocado a morte por asfixia”, tendo no decurso das diligências policiais sido apreendidas “cerca de 140 gramas de canábis”.

Outras Notícias