JSD-Madeira conclui que houve retrocesso em municípios e dá os exemplos do Funchal, Santa Cruz e Porto Santo

Esta foi uma das conclusões saídas do III Conselho Regional da JSD Madeira, que decorreu no concelho de Machico

20 Mar 2017 / 15:55 H.

“A JSD continua atenta à realidade dos concelhos da Região, ressalvando que existem munícipios que regrediram nestes últimos quase quatro anos, como se pode ver pelos exemplos dos concelhos do Funchal, Santa Cruz ou Porto Santo”. Esta foi uma das conclusões que saíram do III Conselho Regional da JSD Madeira, que decorreu no passado sábado, no concelho de Machico.

A JSD-Madeira diz que continuará a trabalhar, “afincadamente, ao lado do PSD, nas próximas eleições

autárquicas, fazendo culminar um trabalho que já foi iniciado no ano transacto e que englobará distintas iniciativas”.

A jota veio ainda repudiar, uma vez mais, “o tratamento diferenciado e descriminatório que o Governo da República imputa à Região Autónoma da Madeira, não trabalhando em áreas que para a RAM e para os seus jovens são primordiais, como o subsídio de mobilidade ou o financiamento para o novo hospital”.

Diz ainda que será dinamizada mais uma edição da Universidade Jota, desta feita subordinada à componente autárquica, cuja apresentação pública será feita, ainda, este mês,

Comissão Política Regional da JSD Madeira faz balanço positivo

Quase a perfazer um ano de mandato, a Comissão Política Regional da JSD Madeira fez um balanço positivo do seu trabalho, bem como e acima de tudo, da interacção com as concelhias e demais entidades, que culminaram na realização de várias actividades por semana, em toda a ilha, em áreas distintas.

E afirma que irá continuar “a investir e a trabalhar em áreas fulcrais para a juventude e para a sociedade em geral, nomeadamente, na educação, saúde, cultura, emprego, empreendedorismo, ambiente, agricultura, desporto, entre outras”.

De referir, ainda, que foram apresentados e votados o Relatório e Contas, bem como, o Orçamento da JSD.

JSD Madeira irá dinamizar o Roteiro da Educação

De resto, da componente temática do III Conselho Regional da JSD Madeira, que contou com a presença de Rosário Sardinha (da Direcção Regional de Juventude e Desporto), de Ina Engelhardt, que se encontra na Região a trabalhar na Associação Académica da UMa, ao abrigo do Serviço Voluntário Europeu, e de Joana Quintal, madeirense que já participou em diversos programas de voluntariado, “ficou patente a importância da educação não formal e a diversidade de programas que podem beneficiar e

enriquecer os jovens”.

“Uma vez que a JSD Madeira irá dinamizar o Roteiro da Educação já na próxima semana e tendo

em conta que se celebra o Dia Nacional do Estudante a 24 de Março, tornou-se imperativo dar

enfoque à educação não formal, abordando os programas de mobilidade existentes, que são

cada vez mais preponderantes na formação da sociedade e que permitem que haja

diferenciação individual e enriquecimento a nível pessoal, académico e profissional”, adianta a ‘jota’.

Tópicos