JSD dá “total liberdade” de escolha aos militantes para votarem em Rio ou em Santana

18 Nov 2017 / 21:09 H.

As estruturas juvenis social-democratas da Madeira e dos Açores “declaram não assumir uma posição conjunta” relativamente às eleições internas no PSD Nacional dando “total liberdade de escolha, como é natural, aos militantes que já estejam integrados no Partido Social Democrata, e aproveitando para agradecer a Rui Rio e Pedro Santana Lopes pela disponibilidade de ouvir os anseios da JSD, bem como, pela clara apresentação dos seus projectos”.

Esta foi uma das conclusões do V Conselho Regional da JSD Madeira, que englobou a Cimeira Atlântica Madeira/Açores, realizado na freguesia do Paul do Mar surtiu numa posição Conjunta da JSD Madeira e da JSD Açores, que será entregue ao Presidente do PSD Madeira.

Num comunicado enviado às redacções adiantam que as duas estruturas, que “continuam a aprofundar e a estreitar os laços que unem as duas Regiões Autónomas”, dizem estar preocupadas igualmente com a Inclusão, com os Assuntos Sociais, ainda com a carência nos cuidados primários no sector da Saúde, e, pela negativa, a JSD-M e a JSD-A não escondeu que “é preciso apontar o elevado valor pago pelos estudantes que usufruem da rede viária, e aqueles que precisam das viagens áreas para vir a casa e depois regressar à sua instituição de ensino”. Paralelamente, alertam também para a “necessidade da contratação de mais psicólogos nas escolas”.

“A criação de incentivos para as empresas com o objectivo de terminar com a elevada taxa de rotatividade dos estagiários, podendo essas ajudas se centrar em benefícios fiscais, é uma medida essencial para diminuir a taxa de emprego jovem”, sublinham.

Neste sentido, é igualmente importante garantir a continuidade de todos os estagiários na administração pública, defendendo de igual forma o apoio aos jovens empreendedores.

Na Madeira o desemprego jovem “tem vindo a diminuir”, mercê, salientam, das “medidas implementadas pelo Governo Regional, enquanto nos Açores, sucede-se precisamente o inverso devido à ausência de políticas concretas por parte do Governo Regional, liderado pelo partido socialista”.

Outras Notícias