JPP vê “Porto Santo abandonado pela República e pelo Governo Regional”

21 Ago 2018 / 17:59 H.

O líder parlamentar do JPP, Élvio Sousa, afirmou, esta tarde, que “o Porto Santo está abandonado pela República e pelo Governo Regional” e esta “é uma infelicidade sobretudo pela questão da mobilidade”. O deputado e dirigente partidário chegou a esta conclusão após uma série de contactos que o grupo parlamentar efectuou nesta terça-feira na ‘ilha dourada’.

Três problemas chamaram à atenção do JPP. Em primeiro lugar a questão da mobilidade inter-ilhas. Élvio Sousa descreveu que o seu partido já requereu os documentos para analisar a documentação do concurso para a ligação inter-ilhas, porque “há qualquer coisa que está a falhar” e “o Porto Santo merece mais”.

O preço da carga é outra questão preocupa o JPP. “Nós não podemos ter uma Região Autónoma com duas ilhas e onde o preço da mercadoria é distinto para a Madeira e é ainda mais caro para o Porto Santo. Isto tem que acabar. Se nós olharmos para as ilhas italianas, gregas e espanholas os preços são competitivos e são muito idênticos. O Porto Santo padece desta situação da dupla insularidade e tem que ser visto com outros olhos”, defendeu o mesmo porta-voz.

Por fim, os representantes do JPP dizem ter sido alertados para a questão das concessões de determinadas áreas da praia do Porto Santo. A este respeito, Élvio Sousa anunciou que vai pedir explicações à Capitania. Os deputados querem saber “se o processo está bem instruído” e o que é que as unidades concessionárias de parcelas da praia “estão a contribuir para a economia do Porto Santo”. Para já, não apreciaram nada as declarações do responsável da Capitania sobre a matéria, que cingiu o problema à questão da segurança.

Tópicos

Outras Notícias