JPP quebrou o mito de que só o PSD sabe governar

27 Mai 2018 / 13:09 H.

“Foi quebrado o mito de que só o PSD sabe governar”. A frase é de Filipe Sousa, presidente do JPP, que hoje esteve na Camacha com o objectivo de precisamente mostrar à população de Santa Cruz, da Madeira e do Porto Santo que o JPP quebrou o mito de que só o PSD sabe governar a Madeira e os municípios. “Efectivamente o JPP já deu provas de boa governação em todas as áreas, desde as finanças, ao social, passando pelo investimento. Há aqui toda uma dinâmica que implementámos nos últimos quatro quatro anos, à qual o povo de Santa Cruz já respondeu, e bem, nas últimas eleições autárquicas”.

Focando o caso concreto da Camacha, Filipe Sousa referiu os arranjos urbanísticos em curso no Largo da Achada e o Mercadinho que na próxima semana irá ser entregue à população. “O investimento que temos programado para as cinco freguesias do concelho já neste mandato, prova efectivamente que fizemos o trabalho de casa e que agora reunimos todas as condições, especialmente financeiras, para avançarmos com um programa de investimento, com ou sem o apoio do Governo”.

Sobre o Governo, o presidente do JPP manifestou-se preocupado com o que chamou de “uma governação de fachada”, que não olha de forma alguma para os graves problemas que afectam os madeirenses, desde à saúde à mobilidade, passando pelo investimento onde não se vê qualquer planeamento sério e efectivo. “Há em Santa Cruz exemplos claros em que o Governo, naquela ânsia de poder ganhar votos para 2019, projecta investimentos sem qualquer tipo de estudos, quando há carências efectivas ao nível das acessibilidades regionais”.

Filipe Sousa, em contraponto, garantiu que o JPP tem soluções e quer ter uma palavra a dizer no próximo ano, pois tem ideias para a saúde, para a mobilidade e para o investimento.

“Deus nos livre que o povo madeirense deixe novamente a governação nas mãos de quem tem governado de fachada. Isto preocupa-me sinceramente, porque aquilo que de mais básico os governos podiam e deviam desenvolver, está a ser completamente ignorado por esta política de fachada”, sublinhou, garantido que é contra isto que o JPP está a trabalhar, fazendo um excelente trabalho na Assembleia Regional, tocando nos pontos certos. “A esperança que eu tenho, enquanto presidente deste partido, é que haja da parte do povo madeirense e portossantense a confiança neste jovem partido, que certamente em 2019 tem uma palavra dizer no mapa político regional. “ Uma circunstância que acredita que o povo já se deu conta. “Ainda há dias falava com uma família na Ribeira Brava, que me dizia que gostavam de viver em Santa Cruz. Isto porque temos aqui programas sociais, que podiam ser aproveitados pelo poder regional, que tem muito mais dinheiro do que nós”, salientou, dando o exemplo do fundo de emergência social que ajuda as pessoas a pagarem as suas contas, do programa de apoio ao medicamento, e das bolsas de estudo.

O presidente do JPP lamenta que em vez de dar esta atenção aos problemas da população, o Governo opte por manter e alimentar os gestores de algumas empresas do sector empresarial da Região. “Falo, por exemplo, do Madeira Parques Empresariais, que tem um conselho de administração que custa ao erário público milhões de euros por ano, só para aqueles senhores passarem em autênticos tapetes vermelhos, porque não dão nada ao povo. Se o JPP tiver uma palavra a dizer na política regional a primeira coisa a fazer é extinguir o Madeira Parques Empresariais e entregar a gestão dos parques aos municípios, porque são estes que mais conhecem as verdadeiras necessidades. Choca-me que se gaste milhões em conselhos de administração que nada fazem pela população, quando esse dinheiro poderia estar a ser aplicado na área social, onde existem grandes necessidades”.

Outras Notícias