Jaime Moniz brilha na Matemática

Francisco Franco subiu em várias disciplinas e teve nestes exames nacionais do secundário os melhores resultados de que o director tem memória

12 Jul 2018 / 13:18 H.

Em Matemática A a Escola Secundária Jaime Moniz continua a ser “uma referência nacional”, com 11,4, revelou esta manhã o director, Jorge Moreira. “Nós nunca estivemos abaixo da média nacional” e este ano voltaram a conseguir o feito, pois de acordo com nota avançada pelo JN, média do exame nacional de Matemática A do 12.º ano baixou quase um valor percentual, fixando-se nos 10,9 valores e os chumbos aumentaram este ano. Já na Escola secundária Francisco Franco, houve melhorias em “quase todas as disciplinas”, disse o director, mas os piores resultados foram em Literatura Portuguesa, com média de 8,4 e na Matemática A com 9,6. Todas as restantes foram positivas. A melhor média foi em Desenho, com 15,3. No liceu, a melhor média foi conseguida em Português, Língua Não Materna, foram seis alunos e a média foi de 16,1, numa escala de 1 a 20 valores. 13,4 em Alemão ficou acima da média nacional, assim como o Francês. O pior resultado foi a História. Normalmente tinham positiva e este ano a escola ficou com 9,2. A Economia, com 8,2, foi a pior média.

“Os resultados da escola são muito positivos, aliás não tenho memória de resultados tão bons”, reagiu desta forma esta manhã o director da Francisco Franco à divulgação dos resultados dos exames nacionais do secundário. Com o papel na mão e alunos à sua volta curiosos para ver as notas nas dezenas de pautas afixadas, António Pires revelou que no conjunto das 17 disciplinas em que houve provas, apenas numa delas a instituição teve média negativa. As restantes foram positivas, em sete disciplinas a média foi superior a 13 e em duas ultrapassou os 15 valores.

A alegria de uns alunos mistura-se nestas ocasiões com a tristeza de outros e hoje não foi excepção. Não vimos choro, mas a fila para as inscrições para a segunda fase já era grande em ambas as escolas.

Muitos dos que contactamos estavam felizes, uns porque tiveram melhores resultados do que o esperado, outros porque a nota foi suficiente para passar ou para manter a média. Em geral, todos se queixaram das alterações introduzidas no modelo e na avaliação, que acreditam acabou por penalizar os estudantes.

Jorge Moreira também acredita que os resultados foram influenciados pelas mudanças. “De uma maneira geral estamos satisfeitos, temos uma média de 11, de alunos internos. Estava convencido que se calhar baixava um pouco, os exames saíram fora do formato inicial, sem os alunos serem avisados, nomeadamente na questão das cotações, da estrutura”.

Quando a António Pires, acredita que a melhoria em geral na Francisco Franco se deve a um trabalho de muitos anos. “A escola está organizada em função dos bons resultados. (...) São o produto final dos nossos professores com os nossos alunos”, disse, congratulando, alunos, famílias e professores.

Outras Notícias