Inspecção Regional de Educação “deve ajudar a resolver problemas”

22 Fev 2018 / 11:50 H.

A Inspecção Regional de Educação (IRE) “pode e deve estar envolvida e comprometida no sentido de serem concretizadas as metas para a educação, traçadas no programa de mandato do Governo Regional”.

Esta foi uma das mensagens deixadas por Jorge Carvalho, secretário regional de Educação, esta manhã, na sessão de abertura da formação ‘Educação Inclusiva: educar todos com todos’, iniciativa promovida no âmbito do projecto ‘Diálogos sobre Educação’, da responsabilidade da IRE, que está a decorrer no auditório do Museu de Electricidade Casa da Luz.

Jorge Carvalho exemplificava ainda com o contributo que esta entidade pode e deve ter no decréscimo do número de retenções em cada ano escolar e na redução do número de casos de abandono escolar, assim como na diminuição dos casos de indisciplina, “no sentido de favorecer um ambiente geral nas escolas que não seja perturbado por comportamentos e atitudes desviantes”.

O secretário regional de Educação salientou a abordagem pro-activa e cooperativa que a IRE tem com as escolas com vista à concretização de tais metas, recordando que a actividade desenvolvida por aquela entidade não se resume apenas à tradicional função inspectiva e disciplinar. A IRE “deve ajudar a resolver problemas, a antecipar cenários e a desenhar intervenções adequadas, com o fim último da melhoria do sistema educativo regional, através do reforço das aprendizagens das crianças e alunos madeirenses”, disse Jorge Carvalho.

Na iniciativa que contou ainda com a presença de Jorge Morgado (IRE) e de David Rodrigues ( Presidente da Pró-Inclusão – Associação Nacional de Docentes de Educação Especial e Conselheiro Nacional de Educação) como orador convidado, o governante fez ainda questão de referir que a formação a decorrer durante o dia de hoje visa “o favorecimento dos processos de ensino-aprendizagem, traduzidos na melhoria efectiva dos conhecimentos e competências dos alunos, e na realização profissional dos agentes educativos”, naquela que é a tão desejada construção da ‘Escola para todos’, uma escola que deve “educar no respeito, na sensibilidade e na empatia, estimular o compromisso social dos alunos e torná-los conscientes de que podem construir um mundo melhor”.

“A educação na excelência acontecerá quando se tiver em consideração cada criança, quando o ensino for de qualidade para todos”, ressalvou ainda o secretário regional.

Outras Notícias