Funchal, cidade educadora

30 Nov 2016 / 18:08 H.

Aumentar os níveis de participação e democracia é, segundo a vereadora Madalena Nunes, a única forma de gerir as cidades, facilitando a resposta à diversidade e fazendo com que todas as pessoas se sintam capazes de participar na vida da cidade e de a transformar num espaço que o considerem seu.

No Dia Internacional da Cidade Educadora, a vereadora com o pelouro da Educação na Câmara Municipal do Funchal enalteceu o trabalho desenvolvido pela autarquia, que desde o início do mandato da actual vereação “tem tido uma visão coerente e sustentada para a cidade, fazendo com que as pessoas se sintam dignificadas e capazes de ser agentes de mudança na sua própria cidade”.

“Uma cidade educadora valoriza todos os talentos e não só os talentos geniais dos prémios”, referiu hoje Madalena Nunes, dia em que cerca de 480 municípios de todo o mundo deram visibilidade ao trabalho educador realizado nas suas cidades.

Já Nuno Fraga, professor da Universidade da Madeira, sublinhou que a proximidade que se estabelece entre o executivo e os cidadãos, por exemplo, e “é um contributo viável para que se possa afirmar que o Funchal é uma cidade educadora”.

Na apresentação denominada ‘A Cidade como Espaço Pedagógico’, que decorreu no Paços do Concelho, o professor deixou um apelo aos presentes: “Que este dia não seja apenas um 30 de Novembro mas um dia que se possa repetir diariamente e que cada um de nós enquanto munícipe desta cidade possa perceber o quão importante somos para que ela se torne uma cidade cada vez mais educadora”.

Tópicos

Outras Notícias