“Fui herdeiro à força”, disse Santana Lopes a propósito do seu cargo como primeiro-ministro

14 Nov 2017 / 20:59 H.

Pedro Santana Lopes recordou a sua experiência como primeiro-ministro durante cinco meses, nesta visita à Madeira, considerando que não poderia recusar o convite do então chefe de Governo, Durão Barroso.

O candidato à liderança nacional do partido social-democrata disse que desta vez está “convencido” que “tendo tempo e conseguindo a legitimidade do voto” poderá conquistar a confiança dos portugueses, algo que aprendeu em 2004 pelo facto de ter sido primeiro-ministro sem recurso a sufrágio universal. Pedro Santana Lopes sabe agora que é um cargo que “tem-se de conquistar”.

“Fui herdeiro à força e nessa altura, se eu não tivesse aceitado a passagem do testemunho, o Durão Barroso não teria ido para Bruxelas”, disse o candidato.

Saiba mais na edição impressa de amanhã.