Emanuel Câmara reserva opinião sobre Moção de Censura para Comissão Política

É a reacção do autarca socialista à manchete de hoje do DIÁRIO. O candidato à liderança do PS-M prefere falar internamente

13 Out 2017 / 12:53 H.

“Neste não vou pronunciar sobre isso [Moção de Censura]”. Foi desta forma curta e seca que Emanuel Câmara, presidente do município do Porto Moniz e candidato à liderança do Partido Socialista reagiu à manchete de hoje avançada pelo DIÁRIO, em que dá conta que o actual líder, Carlos Pereira, está a estudar avançar com uma Moção de Censura ao governo liderado por Miguel Albuquerque.

Câmara hesita na resposta, mas diz preferir aguardar pela reunião da Comissão Política, agendada para segunda-feira, para poder tecer alguns considerandos, mas o autarca nortenho afiança que fá-lo-á “internamente”.

O PS-M vai reunir a Comissão Política com carácter de urgência na próxima segunda-feira, 16 de Outubro, para analisar o que Carlos Pereira classifica de “caos” instalado no Governo Regional. Tudo por causa da anunciada cedência aos lobbies económicos e remodelação do executivo em que dois dos secretários regionais dispensados, Sérgio Marques e Eduardo Jesus, respectivamente responsáveis por sectores importantes, Assuntos Parlamentares e Europeus/Equipamentos e Infra-estruturas e Economia/Turismo e Transportes, saem em pública ruptura com o presidente do Governo Regional.