Emanuel Câmara que unir PS para “ganhar 2019”

15 Jan 2018 / 19:39 H.

‘Um futuro pelas pessoas’ é o título da moção de estratégia global para o PS-M, apresentada esta tarde por Emanuel Câmara. Perante uma sala cheia, o presidente da Câmara Municipal do Porto Moniz garantiu que a sua estratégia para o partido tem como objectivo principal “ganhar 2019”.

As próximas eleições regionais são a meta colocada pelo candidato à liderança do PS-M que apresenta Paulo Cafôfo, um independente, como seu candidato a presidente do governo regional. Uma estratégia que considera a mais acertada porque “seria um erro histórico” desperdiçar o capital político conquistado pelo presidente da Câmara Municipal do Funchal.

Emanuel Câmara espera que nestes últimos dias até às eleições de sexta-feira, seja valorizada uma candidatura, a sua, “que não tem respondido a provocações, porque o que interesse são os madeirenses”.

A sua campanha tem sido “pela positiva, junto dos militantes”, uma campanha “para o futuro” e com vista às eleições regionais do próximo ano.

Desde que assumiu a candidatura, a 30 de Outubro, procurou “auscultar os militantes” e preparar o partido para “um momento único na história da democracia da Madeira”.

A sua moção apresenta as linhas do que deverá ser uma governação socialista, mas também de “regeneração interna do partido”, em oposição ao que tem sido a “liderança dos últimos anos”.

Emanuel Câmara concorre contra o actual líder, Carlos Pereira que acusa de “afastar as pessoas” e de se “empenhar em dividir ao invés de agregar”.

“Não nos revemos na actual liderança e estamos em crer que os socialistas e os madeirenses também não”, afirma.

O candidato a líder do PS-M quer fazer regressar o partido a um “socialismo democrático”, “com todos e para todos” e promete respeitar todas as estruturas partidárias.

Par aa construção do futuro programa de governo promete realizar a “maior acção partidária”, nos próximos anos, reactivando os Estados Gerais. “Nessa altura é que farão efectivamente falta os debates”, diz Emanuel Câmara, na única vez, em todo o discurso em que se referiu ao desafio de Carlos Pereira para debates entre candidatos.

A moção de estratégia aponta linhas de governação para uma agenda social, considera a educação prioritária, promete uma saúde de qualidade e garante uma “gestão financeira e administrativa rigorosa”, reduzindo as “gorduras” da administração pública.

Ambiente, cultura, economia e criação de emprego, um quadro fiscal regional “competitivo” e apoio aos emigrantes, são outras prioridades de Emanuel Câmara.

“Sei que rumo quero dar ao PS e sei que rumo as pessoas querem para a Madeira”, concluiu.

Outras Notícias