Educação deve acompanhar evolução na legislação relativa à igualdade

23 Jun 2018 / 17:41 H.

O Departamento Regional de Mulheres Socialistas (DRMS) promoveu, esta tarde, no Jardim de Santa Luzia, a iniciativa ‘Um Conto para a Igualdade’, que incluiu uma sessão de leitura e actividades lúdicas para crianças.

Tal como explicou a presidente do DRMS, esta iniciativa visa, principalmente, “chamar a atenção para a importância de se trabalharem as questões da igualdade na educação, com a desconstrução de estereótipos e de papéis de género”.

“A mudança de mentalidades é um processo que leva o seu tempo e sabemos que tem duas grandes alavancas: a legislação e a educação”, disse Mafalda Gonçalves, constatando que, a nível legislativo “nos últimos anos já avançamos bastante com a aprovação e a entrada em vigor de vários diplomas que promovem exactamente a igualdade e a não discriminação”.

“Agora, é importante que a educação também acompanhe e também faça parte desta evolução”, realçou.

A responsável explicou que esta iniciativa foi “uma forma activa e diferente que arranjámos de falar às crianças sobre estas questões da igualdade”.

Para o efeito, foram promovidas actividades em torno de duas obras cujas temáticas fundamentais são a igualdade e a inclusão.

O primeiro livro chama-se ‘Todos Fazemos Tudo’ e, explicou Mafalda Gonçalves, “passa a mensagem clara de que não existem tarefas que são das meninas e tarefas que são dos meninos e que, portanto, tanto as meninas como os meninos podem fazer qualquer tarefa e podem ter qualquer profissão, serem aquilo que quiserem na vida”.

O segundo livro tem como título ‘Três com Tango’ e é a história de dois pinguins macho que adoptam um ovo. “Esta é uma história real que se passou no jardim zoológico de Nova Iorque há cerca de duas décadas. Portanto, isto é uma coisa natural que acontece até na natureza e a ideia de trazemos aqui este conto é para desmistificar também esta questão”, concluiu Mafalda Gonçalves.

Outras Notícias