“É preciso que as pessoas enterrem as espingardas e que haja serenidade e unidade”

João Cunha e Silva está de regresso à política activa. Em entrevista ao DIÁRIO responde várias questões da actualidade. Uma delas sobre a união ou a falta dela no PSD-M.

23 Fev 2018 / 19:38 H.

“É preciso que as pessoas enterrem as espingardas e que haja serenidade e unidade”. A declaração é proferida por João Cunha e Silva numa entrevista concedida ao DIÁRIO, que será publicada na integra no domingo, podendo ser escutada na antena da TSF-M a partir das 10h desse mesmo dia. O ex-candidato à liderança do PSD-M começa por comentar a sua recente eleição na Comissão Política Nacional, falando daquele que será o papel neste órgão dos social-democratas. Entre os vários temas em discussão, o ex-governante não foge aos problemas verificados em diversos domínios: na saúde, no subsídio à mobilidade e o porquê de não existir interesse no concurso na linha marítima. E dá a sua visão sobre a construção do novo hospital.

Pelo meio não foge às questões sobre os três actos eleitorais (Legislativas, Parlamento Europeu e Regionais). Já agora, se recebesse convite, o que diria?

Por fim, o que pensa de Paulo Cafôfo? Enquanto presidente e enquanto candidato? Respostas para ler na edição impressa de domingo do DIÁRIO.

Outras Notícias