Dono do bar condenado a pagar 112 mil euros à família da menina que morreu no insuflável na Madeira

16 Mai 2018 / 19:04 H.

O tribunal de Santa Cruz condenou a cinco anos de prisão com pena suspensa um dos arguidos no caso da morte de uma menina de 8 anos num insuflável montado num bar do Caniço que foi arrastado pelo vento a 15 de Maio de 2015 e que veio a cair no acesso à via rápida.

Juan Gomes, o empresário espanhol responsável pelo estabelecimento foi condenado a cinco anos de prisão com pena suspensa pelo crime de negligência grosseira e ainda ao pagamento de uma indemnização de 112 mil euros à família da vítima.

Quanto ao outro arguido neste processo, Pedro Zamora, de nacionalidade venezuelana, que alugou aquele equipamento de diversão infantil, foi absolvido.

Este julgamento começou a 19 de Janeiro deste ano. A 16 de Abril, nas alegações finais, o Ministério Público pediu penas de três anos e meio de prisão para o responsável pela exploração do estabelecimento e de dois anos para o proprietário do equipamento. No entanto, o MP defendeu que ambas as penas deviam ser suspensas. Os advogados dos arguidos pediram a absolvição de ambos.

A leitura da sentença esteve inicialmente agendada para a passada sexta-feira, mas veio a ser adiada para hoje pelo juiz António Martins.

Outras Notícias