Dia Internacional da Pessoa com Deficiência será assinalado com dois espectáculos

O Teatro Baltazar Dias será palco da iniciativa

02 Dez 2017 / 12:20 H.

O Grupo ‘Dançando com a Diferença’ assinala amanhã o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (03 de Dezembro) com dois espectáculos no Teatro Municipal Baltazar Dias, inseridos no projecto ENCLUDANÇA: 3º Encontro Internacional de Arte e Acessibilidade, uma coprodução com a Câmara Municipal do Funchal e com o apoio da Secretaria Regional da Educação.

Desta forma, dois grupos de dança subirão ao palco da principal casa de espectáculos do Funchal. Numa primeira parte, o grupo ‘Em Movimento’ do Centro de Reabilitação de Ponte de Lima (da APPACDM) sobre ao palco pelas 21 horas com o espectáculo ‘CreSer’, numa colaboração de diversos artistas entre eles Andreia Alpuim, Francisco Brás e Henrique Amoedo. O grupo amador composto por elementos com e sem deficiência abrilhantará a noite com uma performance onde todas a heterogeneidade do seu elenco, todas as suas semelhanças e diferenças estarão juntas em palco unidas pela dança. Conceição Cunha, directora do grupo fala da dança como “uma arte que através da individualidade do movimento une, aproxima, cria, transforma e dá certeza ao Ser e força ao seu trabalho”.

A segunda parte do espectáculo está reservada para o grupo Dançando com a Diferença – Sénior / Ginásio de São Martinho que vão estrear uma coreografia de Natércia Kuprian e Telmo Ferreira num trabalho denominado ‘Garanito: Histórias e Memórias’.

É entre as histórias e memórias que este grupo de intérpretes seniores do ‘Dançando com a Diferença’ buscarão dentro das suas particularidades a união sob uma coreografia que explora o seu passado e as suas vivências, fazendo-lhes recordar os tempos em que bordavam em família, numa época que, embora hoje pareça distante, aquecerá o coração e emocionará muitos madeirenses.

Com foco no ponto de bordado tradicional madeirense, o garanito, esta coreografia surge de um trabalho de recolha de depoimentos e troca de histórias entre os membros deste grupo sénior e os coreógrafos, que imergindo nos discursos ora felizes e cheios de orgulho, ora emocionados e cheios de saudade, descobriram em conjunto os momentos de horas passadas a bordar ao som das músicas de antigamente, horas essas que revelariam um ponto partida para esta criação que levará o publico madeirense a conhecer uma das formas de autorrepresentação deste grupo muito peculiar.

Amanhã, 3 de Dezembro, ‘Dia Internacional das Pessoas com Deficiência’, não haverá argumentos para não usufruir de um noite de espectáculos carregados de emoção e nostalgia, às 21 horas no Teatro Municipal Baltazar Dias.