CM de Santa Cruz reage à “desculpa anómala” de Vânia Jesus

03 Nov 2017 / 10:33 H.

Num comunicado dirigido à redacção do DIÁRIO, o gabinete de apoio à presidência da Câmara Municipal de Santa Cruz reagiu hoje às declarações da Presidente da IHM, Vânia Jesus, sobre o caso do edifício ‘Casais da Quinta’, tema em destaque na capa de hoje do nosso matutino.

“A Câmara Municipal de Santa Cruz foi hoje surpreendida pelas declarações da Exma. Sra. Presidente da IHM, Dra. Vânia Jesus, que, na tentativa desesperada de sacudir a água do capote sobre uma obra que teve financiamento do organismo que agora dirige, até inventa terminologia que não existe para ficar a salvo das anomalias no edifício Casais da Quinta”, acusa a referida nota.

Relativamente ao argumento invocado por Vânia Jesus de que o edifício em questão se trata ‘uma obra municipal de iniciativa privada’ e, por conseguinte, fora do espectro de responsabilidades da IHM, a autarquia santacruzense esclarece o seguinte:

“Caso a senhora presidenta a IHM não saiba, tal coisa não existe. Existem obras municipais e obras privadas, nunca a conjugação destas duas. O que ali está é uma obra privada a custos controlados, financiada pela IHM, e cuja responsabilidade da câmara foi aprovar o projecto de arquitectura. Os problemas estruturais que o mesmo apresenta deviam ter sido fiscalizados pelo responsável de obra, que já foi notificado por esta autarquia. Ou seja, os incumprimentos relativos ao projecto inicial não foram ao nível da implantação e do respeito pela volumetria do edifício, estes da responsabilidade da fiscalização camarária, mas sim estruturais, que deviam ter sido acautelados pelo responsável da obra ou por uma empresa certificada para o efeito”.

“Lamentamos, por isso, que se faça política com inverdade e recorrendo a conceitos inexistentes. Garantimos que, tal como sempre faz, esta autarquia vai continuar a fazer aquilo que lhe compete neste caso, e seria desejável que todos fizessem o mesmo. Não podem é escudar-se em desculpas anómalas para justificar anomalias, nem aproveitar casos sérios para fazer política”, remata a edilidade.

Os moradores do edifício ‘Casais da Quinta’, situado no Caniço, estão assustados com o estado de degradação do imóvel. O prédio apresenta uma anomalia estrutural, motivada pela falta de pilares, levando a que não apresente condições de habitabilidade. A Câmara de Santa Cruz confirma a irregularidade e já pediu a intervenção do LREC. A Câmara e a IHM “andam no jogo do empurra” no que toca assumir responsabilidades, dizem os moradores.

Outras Notícias