Centenas de finalistas do ‘Liceu’ cumprem hoje o ritual da bênção das capas

Veja as fotos de alguns dos momentos desta tarde

30 Nov 2016 / 15:59 H.

O ritual da bênção das capas realizou-se esta tarde, na Escola Secundária de Jaime Moniz, com os finalistas do 12.º ano de escolaridade a actualizarem a tradição.

Após dias de preparação da festa, eis que os estudantes se apresentaram na porta principal do Liceu, acompanhados dos respectivos familiares.

Trajados a rigor, com as fitas dos respectivos cursos e pine da escola à lapela, num misto de contentamento e orgulho. Depois, o abraço à madrinha da festa, a professora Fátima Marques que, de braço dado com o presidente da Comissão de Finalistas, Francisco Maria Pereira, preparou o cortejo rumo à Sé Catedral.

Estudantes e familiares “apoderaram-se” da Rua dos Hospital Velho e do átrio principal da ESJM. Dispararam os flashes e nunca o telemóvel foi tão usado como o dia de hoje. Tudo para mais tarde recordar.

O presidente do Conselho Executivo fez as honras da casa, recebeu os estudantes e respectivos acompanhantes, e, ao princípio da tarde, a porta principal do tradicional Liceu foi um mar de gente a posar para a fotografia.

Ao longo de sucessivas gerações, a tradição repete-se com os jovens estudantes a fazerem já a rodagem para a vida universitária, numa espécie de estágio prévio.

Toda a comunidade escolar pára para ver os seus estudantes, pois daqui a poucos meses abraçam outros voos.

O cortejo até à Sé Catedral é outro momento significativo. A cidade acompanha com o olhar a caminhada orgulhosa e firme destes rapazes e raparigas, que assim dão outra vivacidade ao dia.

Na emblemática Sé Catedral, o momento da cerimónia religiosa, também este previamente preparado pela Igreja junto dos estudantes, através da Comissão de Finalistas.

No final, as capas foram colocadas no chão da Sé. D. António Carrilho passou por elas e deu a sua bênção aos estudantes.

De resto, esta noite há o tradicional e tão esperado baile de finalistas no Instituto do Vinho da Madeira, com a presença do DJ nacional Tom Enzy e outros artistas regionais.

Finalistas de outros tempos

Sem o mediatismo desta festa, na Escola Secundária Jaime Moniz, estudantes de outras eras, regressam para descerrar placas alusivas ao seu tempo de finalistas, aqueles que comemoram os 50 anos, depois o grupos dos 40 anos e, por fim, os 25 anos de setimanistas.

Um acto simbólico que deixa impresso nas paredes do Liceu o tempo de finalistas de homens e mulheres bem adultos, que um dia passaram por esta escola e dela guardam saudosas memórias.

Outras Notícias