CDS Santa Cruz condena atentado ambiental no Porto Novo

01 Fev 2018 / 22:37 H.

A Comissão Política do CDS de Santa Cruz, através de comunicado, lamenta que o Governo Regional tenha autorizado novamente o depósito de materiais no aterro do Porto Novo, “sem que para tal se conheçam estudos de impacte ambiental e de recuperação paisagística necessários a garantir a minimização dos impactos ambientais provocados pela reabertura do aterro”.

Na mesma nota, o CDS relembra que “este aterro se situa em espaço considerado de domínio Público hídrico e marítimo, pelo que a sua gestão sendo a cargo do Governo Regional, não pode deixar de garantir a salvaguarda dos valores ecológicos e ambientais que são da sua responsabilidade e que agora estão em causa”. Aliás, o partido pede ao Governo Regional, nomeadamente à secretaria regional do Ambiente e Recursos Naturais, que caso ainda não tenha elaborado os Estudos de impacte ambiental necessários a abertura deste aterro os elabore e até lá se encerre o aterro, como forma de garantir a preservação dos valores ambientais que agora poderão estar em causa.

Pedro Freitas, presidente de Concelhia de CDS Santa Cruzm condena assim a reabertura do aterro do Porto Novo e classifica de “atentado ambiental, a reabertura de um aterro que não cumpre com a legislação em vigor, mesmo que seja provisório, não deixando assim de ser uma situação grave que deve ser denunciada”.

“Dependemos cada vez mais do Turismo pelo que os estragos que fazemos na nossa natureza influencia naquilo que nossos turistas procuram no nosso concelho e na região”, conclui o comunicado.

Outras Notícias