CDS propõe regime específico de contratação pública para fornecimento de proximidade de bens agroalimentares

16 Set 2018 / 15:22 H.

O CDS vai trabalhar numa proposta legislativa para que a Região passe a dispor de um regime específico de contratação pública para fornecimento de proximidade de bens agroalimentares às escolas, hospitais, lares, creches, Forças Armadas e instituições particulares de solidariedade social, anunciou Rui Barreto, que esta manhã visitou a Festa do Pêro da Ponta do Pargo.

“A iniciativa legislativa tem propósitos concretos: valorizar os produtos da Região, garantir o escoamento da produção regional, aumentar o rendimento dos agricultores, valorizar e potenciar a paisagem”, explicou o líder do CDS.

Rui Barreto disse que os “planos estratégicos não chegam” e desafiou o Governo Regional a acompanhar a proposta do seu partido.

“Todos falamos de agricultura, mas o importante é concretizar medidas práticas”, refere. “Esta é uma medida em que o Governo se deve empenhar para valorizar a produção regional, que já foi maior do que é agora, e também já foi mais relevante. Hoje, importamos cerca de 90 por cento do que consumimos, apesar de termos boa agricultura, bons agricultores e bons produtos. Só nos falta uma política que os valorize”, reforça.

O dirigente máximo do CDS refere ainda que a medida tem benefícios para a Tesouraria regional. “É dinheiro que fica cá, é dinheiro que não vai para fora”, nota.

O regime de contratação pública que o CDS propõe estabelece que as escolas, creches, lares, hospitais, instituições particulares de solidariedade e Forças Armadas “priorizem” os produtos regionais na confecção das refeições.

Rui Barreto fez-se acompanhar do deputado Roberto Rodrigues, do vereador do CDS na Câmara da Calheta, Martinho Câmara, do presidente da Junta da Fajã da Ovelha, Gabriel Neto, do presidente da Junta de Freguesia da Ponta do Pargo, Manuel Costa, de dirigentes e autarcas do CDS

Outras Notícias