Carlos Rodrigues chama “facínora” a Nicolás Maduro

Intervenções vão da Venezuela à Marina do Lugar de Baixo

20 Abr 2017 / 09:46 H.

O período antes da ordem do dia da sessão plenária de hoje, na ALM, ficou marcado por intervenções sobre temas diversos que esgotaram os tempos disponíveis.

O assunto mais marcante foi o introduzido por Roberto Rodrigues, do CDS que alertou para a situação de catástrofe que se vive na Venezuela, com um regime que persegue o seu próprio povo, um país onde se passa fome e onde há mais de 150 presos políticos. O deputado defendeu o deputado apelou à participação na acção de apoio marcada para sábado.

Mais dura foi a intervenção de Carlos Rodrigues, do PSD, que chamou “facínora” a Nicolás Maduro e afirmou que a Venezuela já não é um país de direito.

No período antes da ordem do dia, foram feitas outras intervenções, como a João Paulo Marques (PSD) sobre a importância das quotas de participação das mulheres na política e de Sílvia Vasconcelos (PCP) que contestou as conclusões da comissão de inquérito à Marina do Lugar de Baixo.

Rodrigo Trancoso, do BE, defendeu a manutenção do sistema eleitoral de círculo único, contra as intenções de alteração da lei eleitoral, com a criação de círculos eleitorais do Porto Santo e da emigração. O deputado do BE considera importante manter a proporcionalidade entre votos e mandatos.