Capacidade de rápida adaptação é chave para sucesso das empresas

19 Mai 2017 / 17:25 H.

José Bernardo, presidente da PWC, afirma que a velocidade da mudança é enorme e é necessário estar “preparado para saber reagir, senão vamos estar condenados”. “Temos que pensar muito bem com é que vamos lidar com a inteligência artificial, o que vai acontecer com todos os trabalhadores que existem”, disse.

Por seu lado, Bernardo Trindade, presidente da Portugal In, falou da sua experiência no grupo Porto Bay. O empresário defende que a opinião do consumidor nunca teve tanta importância. “O consumidor hoje, através da internet, tem oportunidade de garantir uma lógica de absoluta transparência”, disse, acrescentando que os hoteleiros têm que lidar com os auditores de qualidade.

O crescimento hoteleiro no Funchal vai obrigar a novas mudanças, defendeu Bernardo Trindade, explicando que a liderança do grupo Porto Bay está reforçada, mas procura disseminar essa procura noutros locais.

Enquanto presidente do Portugal In, Bernardo Trindade referiu que face à vitória do Brexit, todos os Estados-membros adaptaram-se para receber as empresas que saem do Reino Unido. Portugal sempre teve uma relação de proximidade com este país.

“O Centro Internacional de Negócios é um instrumento de política pública que deve ser reforçado”, frisou Bernardo Trindade, referindo-se à lógica de qualificação de pessoas.