Câmara do Funchal apresenta Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas

27 Out 2016 / 16:11 H.

A Câmara do Funchal está a elaborar e pretende apresentar, até final do ano, a Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas, sendo a primeira localidade da região a aderir a este projeto nacional que reúne 26 municípios.

A vice-presidente da autarquia, Idalina Perestrelo, que participa na sexta-feira, em Sintra, num encontro no âmbito do projeto “ClimAdaPT.Local”, que está a preparar a rede de municípios para a adaptação local às alterações climáticas, vai apresentar o esboço desta estratégia delineada para o Funchal.

Nesta reunião vão ficar definidas as bases para a constituição de uma rede entre os 26 municípios-piloto.

Idalina Perestrelo destacou que a integração da cidade madeirense “reforça a responsabilidade do Funchal neste processo, evidenciando, naturalmente, o compromisso com este desafio desde a primeira hora”.

A responsável municipal salientou que este projeto “permitirá ao Funchal ter finalmente noção daquelas que são as suas vulnerabilidades neste campo e começar a alterar aquele que é o seu próprio modo de vida”, com vista a minimizar ou mitigar os efeitos desses mesmos fenómenos extremos.

O projeto abrange domínios como o Ordenamento do Território -- cruzando a Estratégia com o novo Plano Diretor Municipal (PDM) e o com o Gabinete da Cidade -, a mobilidade, ao nível da pressão urbana e da poluição, e a energia, enquadrando-se nas próprias metas de sustentabilidade do Pacto dos Autarcas, que tem como objetivo reduzir, em pelo menos 20%, as emissões de dióxido de carbono, até ao ano 2020.

Segundo Idalina Perestrelo, o projeto também visa “formar técnicos municipais em Adaptação às Alterações Climáticas” e “atuar diretamente junto aos atores locais, com vista à sua consciencialização, e desenvolver produtos que facilitem a implementação da Estratégia”.

A autarca salientou, ainda, que “na Madeira, as pessoas têm despertado para a questão das alterações climáticas nos últimos anos, em particular desde 2010, devido às aluviões, secas e incêndios”, sublinhando que estas tragédias têm “o condão de passar a mensagem e de abrir alas à realização de trabalho na área”.

O esboço final da Estratégia Municipal do Funchal vai agora seguir para a coordenação nacional do projeto, com vista à sua validação e à apresentação formal em dezembro deste ano, dependendo a sua concretização do acesso a fundos comunitários.

Idalina Perestrelo concluiu que o Orçamento Municipal do Funchal, na área do Ambiente, vai aumentar cerca de um milhão de euros para 2017, já tendo em conta a fase de lançamento deste projeto.

Tópicos

Outras Notícias