BE focado na luta pela valorização do trabalho na Madeira

18 Mar 2018 / 15:16 H.

O BE-Madeira reuniu hoje a nova Comissão Política, saída da última convenção de 4 de Março de 2018, para delinear a actuação para os próximos tempos, focada na valorização do trabalho na Madeira. Segundo o coordenador Paulino Ascensão, será este o tema central escolhido para marcar a actuação do BE até ao fim da sessão legislativa da Assembleia Regional.

Paulino Ascensão quer combater “os baixos salários praticados na generalidade das profissões, em particular na hotelaria, actividade dominante em termos de volume de emprego na região”. Acusa o Governo Regional (GR) de colaborar com esta situação “ao aceitar a desvinculação da contratação colectiva e ao permitir a redução do pagamento de horas extra e dias de folga” levando ao empobrecimento dos trabalhadores.

Outro aspecto a combater é, segundo o Coordenador, o recurso aos programas de ocupação temporária de desempregados, que são claramente “uma forma de baixar os salários e aumentar a precariedade laboral” que obedece ao principio ‘mais vale pouco do que nada’.

Situações que se reflectem depois nos índices de pobreza, alimentando os negócios da cariadade. “Depois vê-se milhões de euros canalisados para associações privadas que servem apenas para dar emprego aos políticos que saíram do activo nas Câmaras e no GR”.

O BE entende que a valorização do trabalho e dos salários vai permitir aumentar o poder de compra e a rentabilidade das empresas privadas, não sendo necessário apostar em programas de valorização do comércio.