Bastonária diz que ainda faltam enfermeiros na Região

21 Set 2018 / 22:39 H.

A Secção Regional da Madeira da Ordem dos Enfermeiros recebeu esta sexta-feira os novos enfermeiros admitidos, na Cerimónia de Vinculação à Profissão 2018, no Auditório da SRRAM-OE, no Funchal.

A Cerimónia que contou com a Bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, com o presidente da secção Regional da Madeira da Ordem dos Enfermeiros, Élvio Jesus, com o secretário Regional da Saúde, Pedro Ramos, e com vários profissionais da área.

A Bastonária dos Enfermeiros começou a intervenção “sem recusar o óbvio” e vincou que na tarde desta Sexta-feira estavam “milhares de enfermeiros em greve, em luta, por cada um de nós”.

Ana Rita Cavaco lembrou que, no ano passado, os enfermeiros pediram ao Governo Regional que contratasse mais enfermeiros e receberam “de Miguel Albuquerque a promessa de que contrataria 400 profissionais” até ao final do mandato.

Dirigindo-se a Pedro Ramos, a Bastonária afirmou que “tarda a atribuição do suplemento de 150 euros aos enfermeiros especialistas. Sei que virá no próximo mês, mas vem com atraso porque os enfermeiros do Continente já o estão a receber há muito”.

Ana Rita Cavaco terminou o discurso com uma palavra de apreço aos novos enfermeiros.

Élvio Jesus começou por congratular os novos enfermeiros: ““Queria felicitá-los pela vossa licenciatura e pela entrada na profissão. O percurso até aqui não terá sido fácil, mas habituem-se que na Saúde em geral e na Enfermagem em particular, nada é fácil. Também sabemos que estão preparados para todos estes desafios”.

O presidente regional da Ordem dos Enfermeiros sublinhou a capacidade de resiliência e “sobretudo disposição” para “ultrapassar estes obsctáculos”.

O enfermeiro não quis deixar de alertar: “Sendo realista gostaria de partilhar: a realidade no nosso país e Região, no que diz respeito aos ambientes de prática, locais onde nós exercemos a nossa a profissão são na sua maioria desfavoráveis”.

O secretário Regional da Saúde, por outro lado, falou de algumas alterações feitas na carreira destes profissionais, durante esta legislatura, como as 35 horas semanais. Pedro Ramos admitiu que “precisamos ainda de mais enfermeiros” e que é necessária uma preparação para o Novo Hospital.

Durante a sessão solene, os recém-licenciados fizeram o juramento profissional e receberam as respectivas cédulas profissionais.

Outras Notícias