Afinal dono do bar onde criança morreu em insuflável só apanha 2 anos de prisão suspensa

18 Mai 2018 / 13:18 H.

O tribunal de Santa Cruz aplicou dois anos de prisão, com pena suspensa, pelo crime de homicídio por negligência grosseira ao empresário espanhol Juan Gomez, que explorava o bar do Caniço onde uma criança morreu na queda de um insuflável que foi arrastado pelo vento em 15 de Maio de 2015. A informação consta da sentença cedida ao DIÁRIO pela advogada do arguido e vem corrigir todas as notícias divulgadas anteontem, dia da leitura da decisão do juiz António Martins, que apontavam para a condenação do empresário a cinco anos de prisão, além do pagamento de uma indemnização de 112 mil euros à família da criança.

Deste modo, os dois anos de prisão (com pena suspensa) acabam por ser uma pena leve, visto que a moldura penal do crime de homicídio por negligência grosseira vai de 1 mês a 5 anos de prisão.

Tópicos

Outras Notícias