“A Grande Guerra e os espaços insulares” em debate na Madeira

01 Dez 2016 / 18:24 H.

A Universidade da Madeira (UMa) e o Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais (CIERL) organizam amanhã e sábado o Colóquio Insula sob o tema “A Grande Guerra e os espaços insulares”.

Promovido em parceria com o Comando Operacional da Madeira (COM), o colóquio “não é para comemorar”, porque “a guerra não se comemora”, mas para avivar a memória e impedir que o “esquecimento” acabe por preponderar, disse à Lusa o historiador e coordenador do CIERL.

Paulo Miguel Rodrigues destacou que “a falta de memória” tem levado a conflitos sangrentos porque as variáveis penalizadoras foram esquecidas, como a crise do aparelho político e institucional, a crise dos partidos, a crise económica e financeira, as propostas de soluções demagógicas e radicais, à esquerda e à direita, e os atentados.

“Tudo isto existia no final do século XIX, início do século XX e foi tudo isso junto, associado a um discurso nacionalista, que levou e contribuiu para o deflagrar do conflito”, afirmou.

Para o historiador, “vive-se um clima de incertezas” e “um caminhar, quase pacífico, para a guerra”.

“É fundamental que as pessoas não se esqueçam que há uma História e que essa História nos deve ajudar, inevitável e incontornavelmente, a progredir mas fazendo com que esse progresso seja de paz, de liberdade e de bom entendimento entre os povos”, acrescentou.

A sessão de abertura terá a participação do reitor da UMA, do coordenador do CIERL e do presidente da Assembleia Legislativa.

O colóquio, o segundo de uma série de cinco e que se prolonga até sábado, terá a participação, entre outros, de António José Telo (”A Guerra e a grande mudança na realidade portuguesa continental e insular”), Pedro Marquês de Sousa (”O CEP entre a frente europeia e a frente interna da Grande Guerra 1914-1918”) e António Ventura (”Memória da Guerra nas Memórias da Grande Guerra”).

Marco António Serronha, ex-comandante da Zona Militar da Madeira, proferirá a conferência de encerramento intitulada “Tempos da Grande Guerra, memórias de um mundo de ontem, coincidências com um presente e reflexos sobre o futuro: uma visão geopolítica e geoestratégica”.

O Colóquio será encerrado pelo Representante da República, juiz-conselheiro Ireneu Barreto, e integra uma exposição organizada pela Zona Militar da Madeira e Museu Militar da Madeira denominada “I Guerra Mundial 100 anos - Algumas Memórias”.

Outras Notícias