5G “vai dar mais tempo e ferramentas” aos utilizadores das redes móveis

18 Mai 2018 / 17:37 H.

Após a sessão de apresentação da Rede do Futuro na Madeira, que decorreu ontem no Centro de Congressos, a NOS esteve na manhã desta sexta-feira na Universidade da Madeira (UMa), numa conversa com alunos sobre a evolução da tecnologia para um serviço revolucionário.

Na sessão, Luís Miguel Santo, elemento da direcção de Engenharia de Rede Móvel e Terminais da NOS Comunicações, explicou aos alunos que a tecnologia 5G é o próximo a dar nas comunicações móveis, sendo que o 4.5G vai ajudar a preparar o mercado para a chegada da mais recente tecnologia.

“O 5G é uma tecnologia que nos dará melhorias na velocidade com que usamos o nosso ‘smartphone’, mas não só. Vai, também, permitir que liguemos, através de sensores, máquinas e aplicações de muito baixa latência”, realidade que ainda não é possível atingir com o 4G.

Em termos práticos, a nova tecnologia “vai dar mais tempo e ferramentas” aos utilizadores das redes móveis. Pondo isto num contexto específico, “hoje por vezes, queremos ver um vídeo e, às vezes, ele não funciona bem em todos os pontos da ilha e objectivo do 5G é permitir que este vídeo, como exemplo de aplicação mais exigente, esteja fluído em qualquer parte”, explicou Luís Santo.

Em relação às máquinas, ainda “exploramos muito pouco a informação que temos nelas e estas tecnologias vão nos permitir utilizar informações de sensores para melhorarmos negócios, mas também aplicações no ‘smartphone’ para mais conforto e controlo nas nossas casas, para mais eficiência energética, traduzindo-se em benefícios financeiros para as pessoas”, concluiu.