37 pedem lar todos os meses

Lista de espera estava em quase 950 pessoas no 1.º semestre

04 Out 2017 / 11:17 H.

Todos os meses o Instituto de Segurança Social da Madeira recebe uma média de 37 pedidos para um lugar num lar de idosos e deste consegue satisfazer cerca de metade, revelou Rita Andrade, esta manhã no auditório da Segurança Social, à margem da abertura do Dia do Idoso, oficialmente celebrado no dia 1 de Outubro, mas assinalado durante esta manhã e tarde pelo Governo Regional. Segundo a secretária da Inclusão e dos Assuntos Sociais, no primeiro semestre estavam em lista de espera para um lugar numa estrutura residencial 948 pessoas. Actualmente os serviços têm 1.400 camas, ou seja, teria de aumentar em 67% a capacidade para conseguir dar resposta a todos os pedidos.

“As respostas vão sendo dadas, ainda não são as ideais”, assumiu a responsável pela pasta, recordando que o problema passa-se também no todo nacional. O apoio domiciliário e manter as pessoas em casa é o grande objectivo, mas também este não chega a todos, ainda que chegue a “muitos”.

Rita Andrade dá conta de que tem havido um trabalho de incentivo e de preparação de profissionais para dar resposta, além do trabalho directo e do indirectamente realizado através de apoio a instituições particulares de solidariedade social (IPSS) que trabalham nesta área. A escolha de quem vai ou não para um lar passa por uma entrevista à família, onde os serviços tentam perceber se não é mesmo possível manter o idoso em casa, se a habitação não tem mesmo condições. “Quando há situações limite, pois implica naturalmente o internamento em lar e temos situações de emergência em lar, que essas têm de ser imediatamente atendidas”.

Em Portugal, a população residente com mais de 65 anos passará de 2,1 para 2,8 milhões de pessoas até 2080, ou seja, em 65 anos serão mais 700 mil idosos em Portugal. A secretária assume que é preciso criar condições para um envelhecimento com qualidade, dignidade e segurança e que esse é um grande desafio.

Neste momento o Instituto de Segurança Social da Madeira gere seis lares com capacidade para 409 idosos; 14 centros de dia e convívio para 352 idosos; um banco de ajudas técnicas actualmente com 861 ajudas deste tipo; apoia 206 cuidadores formais e sete famílias de acolhimento de idosos e adultos deficientes.

Indirectamente, através de parcerias com 28 IPSS, nomeadamente que prestam serviços de ajuda domiciliária, chegam a outros 3.450 idosos, incluindo o fornecimento de refeição ao domicílio a 465 indivíduos e lavandaria para 105. Em lares, são outras 673 camas e 43 centros de dia e de convívio que dão resposta a 1.446 utentes. Há ainda cinco entidades privadas que disponibilizam outras 145 camas em internamento.

Outras Notícias