3.º dia da greve dos enfermeiros com 85% de adesão na Madeira

Nos Centros de Saúde a adesão foi de 45,6%

13 Set 2017 / 18:18 H.

No terceiro dia da greve dos enfermeiros, nos cuidados de saúde hospitalares do Serviço de Saúde da RAM, E.P.E (SESARAM), a adesão média foi de 85%, sendo que foi superior no turno da noite: 90,09%. No turno da manhã registou-se 77,02% de adesão e no turno da tarde atingiu os 87,92%.

Nos cuidados de saúde primários, a adesão média à greve, durante o dia de ontem, foi de 45,6%, sendo que no turno da manhã foi de 38,89% e 52,33% no turno da tarde.

Os dados foram disponibilizados há pouco no site do SESARAM, onde é também sublinhado que “todas as situações urgentes estão a ser atendidas e os serviços mínimos estão a ser salvaguardados”.

Ao nível nacional, a adesão à greve dos enfermeiros foi de cerca de 87% no turno da noite, disse o sindicalista José de Azevedo, adiantando que espera que o número venha a subir neste terceiro dia de paralisação.

“Ainda estamos a obter alguns dados, mas tudo aponta para uma adesão de 86/87% relativamente ao turno da noite, que teve início às 00:00. Contudo a nossa perspectiva é a de que este número venha a subir ao longo do dia de hoje”, disse à agência Lusa o presidente dos Sindicato dos Enfermeiros (SE).

No que diz respeito a terça-feira, segundo dia de greve, José de Azevedo destacou que a adesão à paralisação foi de 87/88%.

Quanto à reunião de terça-feira entre o Sindicato de Enfermeiros Portugueses (SEP) e o ministro da Saúde, que terminou sem conclusões, tendo ficado marcada uma nova ronda de negociações para quinta-feira, o sindicalista reafirmou que são “manobras de diversão”.

“Tal como já havia dito na terça-feira, esta reunião ajuda as pessoas a perceber que se trata apenas de manobras de diversão”, disse.

A reunião aconteceu no segundo dia de fortes protestos a acompanharem por todo o país a greve, que decorrerá até sexta-feira, contra a recusa do Ministério da Saúde em aceitar a proposta de actualização gradual dos salários e de integração da categoria de especialista na carreira.

A greve, marcada pelo Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo SE, começou às 00:00 de segunda-feira e decorre até às 24:00 de sexta-feira.

A Secretaria de Estado do Emprego considerou irregular a marcação da greve, alegando que o pré-aviso não cumpriu os dez dias úteis que determina a lei.

O primeiro dia de greve, que teve uma adesão de 85%, ficou marcado por várias manifestações de enfermeiros frente a alguns dos principais hospitais portugueses, nomeadamente no Porto, Coimbra e Lisboa.

Outras Notícias