200 professores fora das salas de aula

29 Set 2017 / 07:25 H.

O número das baixas médicas aumentou face ao mesmo período do ano passado. Assim, 200 professores estão, de momento, fora das salas de aula. Esta é a notícia que faz manchete na edição impressa de hoje do DIÁRIO. As faltas dadas pelos docentes na rede pública custam 800 mil euros anuais às escolas. Transtornos de natureza psiquiátrica, doença oncológica e gravidezes de risco lideram os motivos que estão na base da ausência dos professores ao trabalho.

Nos últimos ‘cartuchos’ da campanha para as autárquicas, este é o último dia para conquistar os eleitores. No entanto, atenção para o facto de que o tempo das maiorias esmagadoras já passou. Nos comícios de ontem, Albuquerque e Leal criticaram a Confiança, que no seu comício disse ser um projecto de uma cidade virada para o futuro. Já no Porto Santo, cinco partidos, uma coligação e um movimento tentam conquistar o seu lugar.

Nos transportes, atente para o reforço de voos do Reino Unido a partir de Outubro.

Por outro lado, o Plano de Ordenamento do Território já está em marcha para orientar o crescimento urbano.

Por fim, no desporto, a ‘lenda’ António Simões prevê jogo “nervoso e dinâmico” entre o Marítimo e o Benfica.