Previnam-se com protectores de ouvidos

11 Jan 2018 / 02:00 H.

    Atendendo à péssima opinião que os portugueses têm da nossa Justiça e quando tudo parecia encaminhar-se para a renovação do mandato da actual PGR Joana Marques Vidal, até pelos mega-processos em curso, o país acaba de saber que não é intenção do Governo mantê-la no cargo. Ouvindo opiniões de pessoas insuspeitas do sector, incluindo o Sindicato, ressalta a unanimidade da competência e capacidade extraordinárias e uma ética profissional inexcedível e daí o seu contributo para a credibilização e o reconhecimento público do sistema de Justiça, que alguns, nos últimos anos, tentaram descredibilizar. Os mesmos responsáveis fazem questão de realçar o trabalho desenvolvido e caso fosse necessário um juízo de mérito para continuar, defenderiam a renovação pois foi um mandato de todo positivo. Apesar da Lei não referir qualquer impedimento da renovação do mandato de PGR, e ninguém estar a defender a perpetuação no cargo pois até a própria pode não estar interessada,, mas tratando-se duma situação excepcional em que o interesse público e a imagem da Justiça tem que ser preservada, a sua substituição traz água no bico. Dá a impressão que tudo se prepara para o regresso, agora em forma de genéricos, do anteriores PGR e do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça de triste memória. Com o regresso de tal gente, os portugueses que se acautelem com protectores de ouvidos já que as incineradoras e destruidoras de papel vão voltar a funcionar 24 horas por dia. É que apenas o caso Operação Marquês com milhares de volumes com dezenas de milhar de páginas, centenas de apensos, milhares de milhões de ficheiros informáticos, não será difícil imaginar o buraco do ozono que tal destruição irá causar.

    Jorge Morais

    Outras Notícias