Mentes brilhantes

11 Set 2018 / 02:00 H.

    Pergunto-me se o pessoal que trabalha na secretaria da educação, nomeadamente o que dita as leis da educação, se andaram na escola ou simplesmente sabem fazer contas, e não é preciso tercanudo para fazer essas contas, senão vejamos, como é que o senhor secretário diz que irá por mais uma educadora em cada sala de creche e pré-escolar desde que a educadora titular tenha mais idade? É esta a solução que conseguiu arranjar para calar e tapar os olhos da população, nomeadamente dos encarregados de educação? Ora vamos a contas, chegando às interrupções de Natal e Páscoa e mês de Julho serão essas educadoras que irão colmatar a ausência das educadoras titulares, ou voltamos ao mesmo problema e serão as ajudantes que farão esse serviço? Como é que resolve esse problema, se essas educadoras terão o mesmo estatuto que as que lá estão? Senhor secretario, não se esqueça que são tudo seres humanos, assim como as educadoras ficam desgastadas, as ajudantes também ficam, e há muitos estabelecimentos em que as ajudantes já têm uma certa idade mas continuam sozinhas numa sala e ainda têm que fazer a limpeza das mesmas, já agora porque não pôr mais uma ajudante em cada sala, essa sim mais preciosa, porque quando chegar às interrupções elas continuarão lá, com o ordenado de mais uma educadora, o senhor punha duas ou três ajudantes e resolvia o problema no período não lectivo, ainda lhe ficava mais barato, como vê não precisa de doutorados a trabalhar na secretaria, porque essas contas até fazemos na primária. Mentes ignorantes para quem tenta resolver um problema trazendo mais problemas, porque os encarregados de educação continuam sem estar sossegados quando chegar essa altura. Já agora senhor secretário, como é professor, sabe muito bem como é desgastante dar aulas a alunos que estão na adolescência, porque não pôr mais um professor em cada sala no 1.º, 2.º, 3.º ciclo e secundário? Esses sim mereciam muito mais ter uma pequena ajuda nas salas de aula. Como vê senhor secretario continuamos no mesmo problema sem resolução á vista mas com uma pequena mudança, que é cada vez que dita uma regra pensa que calará os mais prejudicados que são os encarregados de educação mas só revolta ainda mais com essas leis de ignorantes que nem contas sabem fazer, vê-se mesmo que ou têm filhos que são cuidados por amas particulares, ou estão em escolas privadas em que esses professores e educadores têm um horário como qualquer cidadão e não ousam reclamar de maneira que possam manter os seus postos de trabalho. Não tenho nada contra os educadores, somente falo porque sou a favor de justiça e igualdade para todos os trabalhadores tanto privado como publico

    Leitora identificada

    Outras Notícias