Machico num Debate

10 Fev 2018 / 02:00 H.

    Na sexta-feira, dia 2 de Fevereiro de 2018, pelas 19 horas, até cerca das 20h30, realizou-se na Junta de Freguesia de Machico, um debate, por iniciativa da Assembleia Municipal do Concelho de Machico, sobre uma hipotética mudança do Dia do Concelho.

    Da mesa da sessão, sob a presidência do senhor Dr. João Bosco Costa de Castro, Presidente da Assembleia Municipal, fizeram parte ainda o senhor Presidente da Câmara Ricardo Franco, a senhora Dr.ª Clementina Reis, Chefe de Gabinete da Presidência da Câmara e o senhor Presidente da Junta de Freguesia de Machico, Alberto Olim.

    Como convidados estiveram presentes três senhores historiadores: o Dr. Nelson Veríssimo (professor na Universidade da Madeira); o Dr. Élvio Sousa (arqueólogo); e o Dr. Emanuel Gaspar (historiador da arte).

    Com a sala cheia, decorreu este debate, com a participação de cerca de uma dúzia dos munícipes circunstantes. Os quais deram as suas opiniões de forma clara, sucinta e exemplar.

    O objectivo deste debate era auscultar as opiniões dos presentes sobre a hipotética mudança do Dia do Concelho de Machico. O qual desde cerca de 1978 (salvo erro) se comemora no dia 9 de Outubro, data da solenidade religiosa do Senhor dos Milagres.

    Pretendeu-se, com este primeiro debate, aferir da receptividade dos munícipes em aceitar a transferência da dita comemoração para uma outra data com mais significado histórico (administrativamente falando).

    Depois de ouvidos os senhores historiadores presentes ficou-se com a ideia que a data mais consensual e significativa e pelo seu fundamento histórico inquestionável, é o dia 8 de Maio. Pois em 8 de Maio de 1440 foi criada a capitania de Machico, por doação do Infante D. Henrique a Tristão Vaz (Tristão da Ilha, como era conhecido na Corte Portuguesa). E só alguns anos depois a do Funchal – atribuída a Gonçalves Zarco.

    E uma alternativa a esta data poderia ser o dia 2 de Julho, pois, supostamente, o dia do desembarque dos navegadores portugueses foi a 2 de Julho de 1419 (ou 1420). Os quais, na véspera, ao entardecer, tinham feito o achamento da Ilha da Madeira, ao dobrarem a Ponta de S. Lourenço e ancorado na baía de Machico. Mas esta data carece de rigor histórico e além disto diz mais respeito à ilha no seu todo do que apenas a Machico.

    A quase totalidade dos intervenientes, incluindo o senhor Presidente da Câmara, Ricardo Franco, opinou que o dia 8 de Maio é o mais adequado, mas que o feriado municipal continuaria a ser a 9 de Outubro, dia da Solenidade do Senhor dos Milagres, enquanto as populações do concelho, na sua maioria, assim o quiserem.

    Este debate, que decorreu de forma ordeira, serena, pacífica, democrática e com elevação poderá ter sido, supomos nós, um dos poucos debates exemplares que ao longo dos tempos terão ocorrido em Machico. Foi um acto magnífico, digno e merecedor de ficar registado nos Anais do Município de Machico.

    Ficou no ar a ideia e intenção de prosseguir-se com mais debates sobre este assunto, nas outras quatro freguesias do concelho, por iniciativa das respectivas Juntas. Para que no próximo ano, por altura da comemoração dos 600 anos do achamento da Madeira, pelos portugueses, esteja já decidido se haverá alteração e, a haver, qual será o Dia do Concelho.

    Parabéns ao Dr. João Bosco Costa de Castro, digníssimo Presidente da Assembleia Municipal, pela sua iniciativa, capacidade de comunicação moderadora e elevada postura pessoal e democrática, neste como noutros actos. E também aos demais intervenientes.

    M.A.C. Andrade