Funchal, cidade fantasma

14 Fev 2018 / 02:00 H.

    Começo a creditar que vivo numa cidade fantasma. O comercio local está a desaparecer cada vez mais. As rendas, quando actualizadas, não permitem aos comerciantes sobreviver. Temos ruas emblemáticas, que deixaram de o ser há. E não me venham com a história que a culpa é dos comerciantes que não querem arriscar. Não conseguem. Vemos lojas a encerrar, pois os proprietários não acompanham as necessidades, recusam-se a baixar rendas, e preferem ter as lojas fechadas do que garantir um valor fixo, bem como dar oportunidade aos inquilinos. Vemos prédio a degradarem-se, montras completamente ao abandono que fazem fugir qualquer um, para não falar da falta de higiene, iluminação, etc. Sei que esta Câmara está a fazer esforços para contornar a situação, mas de estudos, e “politiquices”, estamos fartos. Façam, criem um plano para que volte o comércio ao centro. Protejam os comerciantes, que estão a ceder, por falta de capacidade. As pessoas estão fartas das antigas promessas, e tudo o que lhes mostram e dizem, já não tem credibilidade, pois forma promessas não cumpridas. É de todo necessário mostrar que a mudança aconteceu e é para ficar. Sei que nada se faz em cima do joelho, e nem do dia para a noite, mas façam acontecer.

    Isabel Gaspar

    Outras Notícias