Contestação a Pinto da Costa

20 Mai 2017 / 02:00 H.

    Um dos mais carismáticos, para uns, para outros nem por isso, dirigente de um dos maiores clubes em Portugal, que conquistou o seu devido espaço e respeito, não só a nível nacional, como a nível internacional, com as brilhantes conquistas da Taça Intercontinental, por 2 vezes, 1987 e 2004; Taça dos Clubes Campeões Europeus, por 2 vezes, 1986/87 e 2003/04; Taça UEFA/Liga Europa da UEFA, por 2 vezes, 2002/03 e 2010/2011 e finalmente também a nível da Europa, conquistou a Supertaça Europeia no ano de 1987. Não deixando de assinalar as dezenas de títulos a nível interno conquistados em especial no futebol, sobre a sua batuta, como dirigente de uma grande figura impar de grande prestígio no seio dos Dragões, fazendo inveja aos seus mais directos opositores. De seu nome, Senhor Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa, que é o actual presidente do Futebol Clube do Porto, desde de 1982. Nascido em Cedofeita, Porto, no dia 28 de Dezembro de 1937, tendo sucedido a outo também grande presidente, Américo de Sá, que presidiu aos destinos do clube “azul e branco” de 1972 a 1982.Foi capaz, com o seu talento, dedicação, perspicácia e porque não igualmente também no meio com alguma audácia, só ao alcance de um grande e verdadeiro dirigente, que é, e que foi igualmente rodeado por assessores da sua inteira confiança, conseguindo ao longo de 37 anos, tirar o FC Porto do marasmo em que o clube vivia, passando o clube a figurar nas primeiras páginas de toda a comunicação social, como um colosso do futebol europeu. Conseguiu vingar com a sua brilhante gerência e saberÉ verdade, como em tudo na vida, e como costume a afirmar, nas tertúlias de amigos, a vida é como os interruptores que fazem ligar e desligar as luzes, umas vezes estão para baixo outras vezes estão para cima. Assim é a nossa vida, infelizmente, tanto podemos estar bem “altos”, como de um momento para o outro, passamos rapidamente cá para baixo.Assim, parece estar a acontecer, àquele que fez renascer e de tirar lá de baixo, praticamente lá do fundo o FC Porto, que conhecemos, hoje, apenas com um senão que os adeptos não estavam habituados e parecem não quererem perdoar o “jejum” de quatro épocas sem verem no seu “museu” qualquer título conquistado para serem acrescentado ao grande currículo deste clube da Invicta cidade do Porto.Segundo relatos da imprensa, mensagens de contestação foram deixadas na residência do líder da SAD portista e nas instalações do Porto Canal...”Chegou a hora de sair”, passei a citar.E, assim ao fim de 37 anos, um homem que deu tudo ao seu FC Porto, e que devia por anos à frente do clube ser considerado e ter todas as condições de ser Presidente Honorário. Mas, infelizmente a vida é mesmo assim.

    Mário Jesus

    Outras Notícias