A decadência da hemodiálise

13 Out 2017 / 02:00 H.

    Após um artigo vindo a público nas cartas do leitor sobre a morte de dois doentes na única clínica de hemodiálise da nossa região, tive conhecimento que afinal neste momento já morreram mais dois pacientes , o que se lamenta profundamente. Embora um dos familiares já ter colocado umas das mortes em tribunal, constato que estas tragédias são muito estranhas, pois não vieram a público. Se foram por negligência, o que tudo aponta que sim, é um caso para intervenção urgente do Ministério Público. É imperativo investigar os seus responsáveis e saber o porquê destes casos terem sido encobertos e também se há qualquer responsabilidade do diretor de nefrologia do Sesaram. Gostaria de saber também qual foi a postura do mesmo( médico este com ligações à clínica). É importante também perceber o porquê das inúmeras irregularidades relacionadas com o serviço da hemodiálise, vindas a público, a suposta promiscuidade entre a causa pública e a clínica privada, os supostos patrocínios da referida multinacional para ocultar uma série de situações e os milhões que se continuam a gastar nos serviços prestados por essa clínica (valores altíssimos em relação aos praticados no continente) e se têm fundamento e, para o comprovar ou não, devem ser investigados com urgência pelo DIAP . Soube que ainda recentemente, o governo regional aumentou a verba em mais de um milhão e meio (Fontes FN) por ajuste direto, para mais tratamentos na clínica privada, continuando, infelizmente, deste modo a alimentar os monopólios e o péssimo serviço prestado aos doentes, que sofrem de uma doença só por si dolorosa, desgastante e violenta, isto sem mencionar o transtorno que causa aos seus familiares.

    D.S.

    Outras Notícias