Antonoaldo Neves e os preços módicos da TAP

16 Set 2018 / 09:00 H.

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, disse, na passada quinta-feira, dia 13, no Parlamento, que a companhia aérea “não discrimina a Madeira nos cancelamentos” e considerou que “a alegação que a TAP tem tarifas pornográficas é inaceitável”, embora, diga-se a bem da verdade, há quem tenha de quase ‘vender o corpo’, leia-se trabalhar no duro, dar no batente, para conseguir pagar passagens aéreas que custam quase um ordenado mínimo.

Ninguém gostou do que este senhor disse, nem agora, nem no passado recente, quando falou das “módicas” viagens Madeira-Lisboa. E as sempre iradas redes sociais eriçaram o pêlo, qual felino da selva, para saltar, virtualmente, em cima do senhor da TAP. A crítica é sempre um exercício da liberdade de expressão, mas parece que só funciona com gente que está longe. Isto porque, por cá, na ilha, há gente responsável pelo actual modelo de liberalização aérea que está de bancada, a comer pipocas, a divertir-se com tudo isto, já que pelos vistos poucos se lembram do que foi optado há alguns anos quando a Madeira entrou neste regime de liberalização.

Mas se o novo desporto regional parece ser o atira-o-pau-ao-Antonoaldo, o senhor da TAP parece não ficar abalado e para mudar as coisas vai ser preciso muito mais do que estar atrás do teclado a criticar, ou dar conferências a gritar contra o brasileiro. Vai ser preciso negociar, fazer cedências, arranjar uns trunfos, ser diplomático quando for preciso e não se irritar com frases, digamos, modicamente parvas. E a isto tudo chama-se... sabe o leitor? Acho que é governar, mas não temos estudos para mais. Pena é - usamos aqui uma anástrofe - que o povo, como sempre, seja o mais prejudicado. Às vezes, há quem pense que o que apetecia mesmo era ir para um lugar longe de tanta incompetência, cá e lá, mas não há dinheiro para tais ‘módicas’ passagens...

Aprecie agora o cartoon da autoria de Eder Luís (Deco Cartoon) que poderá ver nas páginas da Análise da Semana da edição deste domingo do DIÁRIO de Notícias.

Texto J.F.P.

Outras Notícias