Afinal há final

13 Jul 2018 / 16:35 H.

Neymar, Hazard, Messi, Kane, Sergio Ramos, um tipo qualquer da selecção alemã e o sétimo é precisamente... CR7, o nosso madeirense feito recém-italiano Cristiano Ronaldo. Todos fora da final do Mundial de futebol na Rússia, conforme ilustra o cartoon da Análise desta Semana que pode conferir este domingo na edição em papel do DIÁRIO. Pois é, afinal hoje há final do Mundial, mas provavelmente o leitor não tinha dado por isso.

Terá sido inveja dos adeptos? Que costumam assistir confortavelmente as partidas via TV ou em locais ‘open space’, acompanhados por uma ‘jola’ e, quiçá, um hambúrguer ou um cachorro-quente? Será por isso que as maiores estrelas do futebol mundial quiseram pôr-se fora para poderem sentir o que é ser um adepto que berra ao ecrã na esperança de que, do outro lado, a banda larga leve até os jogadores os conselhos dos treinadores de bancada? Pois é, este Mundial foi tão mau para os ‘grandes’ que nem a Itália, que ‘contratou’ Ronaldo, quis participar.

Para terminar: tem ideia de quanto tempo expendeu para ler este artigo? 20 segundos? 30 segundos? Durante este tempo, Ronaldo amealhou 1,3 euros por segundo. Nada mau. Afinal, embora a final não seja o que todos desejássemos - Portugal a ganhar a Grécia... esperem, a Grécia não entrou nisto... reformulando, Portugal contra o México, como palpitaram os amarelos Simpsons, certo é que a final deverá trazer, goste-se ou não, uma certeza científica: o futebol é um desportivo colectivo - ‘WHAT?! - pois é, parece que as vedetas, desde Neymar a Messi, passando pelo nosso Ronaldo, mesmo que tentem, não conseguem fintar a imprevisibilidade e meter a ‘redondinha’ lá dentro como, por exemplo, a Croácia o fez de forma colectiva. E ponto final.

TEXTO JFP