TRIM TRIM: Uma pipa de chulos

24 Jul 2016 / 02:00 H.

“Uma pipa de massa gastos no Jornal da Madeira”- 16.07.2016

1. Em letra pequenina. O que foi gasto no chulo do jornal da madeira – 1,4 milhões pela distribuição gratuita à Critério de Escolha”, 330 mil em apoio jurídico à Paulo Almeida e associados e à Abreu Advogados, 108 mil para os articulistas Filipe Malheiro e Gilberto Teixeira, 443 mil para os administradores Rui Alberto Gonçalves, Ricardo Bazenga Marques e João Afonso – não constitui qualquer novidade para um grupelho de loucos que invadiu as respectivas instalações em 2011 (cfr. foto, em especial, o saco de plástico do grupo Sá). Por causa desta invasão, os frustrados, drogados, bêbados e ressabiados sentaram a peida no tribunal e pagaram milhares de euros de indemnização ao estado e à região.
 
2. Já os menininhos protagonistas deste escândalo político, jurídico, financeiro e criminoso chamado jornal da madeira – Alberto João Jardim, Paulo Almeida, Miguel Tropa, Henrique Correia, Rui Alberto Gonçalves, Ricardo Bazenga Marques, Gilberto Teixeira, Filipe Malheiro (mais ainda chega caca à minha família) - andam por aí numa boa e a curtir os milhares que sacaram ao erário publico. Tribunais com estes meninos – zero. Sanções financeiras do tribunal de contas a estes meninos – zero. O que se lixa é sempre quem se move.
 
3. O chuleco maior deste crime jornalístico – Alberto João Jardim – até se dá à volúpia de aparecer nos tribunais quando quer, desaparecer dos tribunais quando quer, ser notificado na casa da Pena, ou na FSD-M ou no PSD-M (já experimentaram nos Ilhéus?!) quando quer e quando não quer – e ainda gozar de prescrições de processos judiciais quando quer e quando não quer pela pena ilustrada do menino Guilherme Silva. Juiz ou juíza com tomatinhos (não há engano!) para ir buscar este menino a casa – zero. E assim vai ele gozando da fortuna e dos azares da vida ao ritmo incandescente de uma bela “Broxelas”. A monte.