Vento fez estragos e condicionou estradas

31 Jan 2018 / 02:00 H.

O forte vento que se fez sentir desde o início da noite de segunda-feira, até perto da hora do almoço de ontem, provocou estragos um pouco por toda a ilha e levou à necessidade de se accionar o socorro dos bombeiros por diversas vezes.

Uma derrocada obrigou à intervenção dos bombeiros, por volta das 4h10, no Caminho da Corujeira, no Monte. A queda de terras e pedras levou ao encerramento da estrada, tendo os Bombeiros Sapadores do Funchal estado no local para sinalizar com barreiras. A Câmara do Funchal também foi contactada para proceder à retirada do entulho.

Ainda antes, pelas 22h20, essa corporação foi à Rua do Ribeirinho, com uma auto-escada de 55 metros, para retirar 12 folhas de zinco que estavam soltas e colocavam em risco pessoas e bens.

Placards publicitários retirados

O risco de desprendimento dos placards publicitários da loja ‘Decathlon’, junto ao Caminho do Poço Barral, em São Martinho levou à intervenção dos bombeiros.

Foi por volta das 4h50 de ontem que os bombeiros foram chamados para tentar segurar uma placa de publicidade de grandes dimensões da loja, que ameaçava cair. A equipa daquele espaço comercial esteve a tentar fixar a segurança do equipamento, pela manhã, mas o vento não deu tréguas, arrancando outras placas. Para salvaguardar a integridade de pessoas e bens, a PSP decidiu encerrar a Azinhaga do Poço Barral.

Já no centro comercial Madeira Shopping, a auto-escada esteve no local, por uma questão de precaução, uma vez que parte do telhado do edifício estava instável. Entretanto, o problema foi resolvido.

Toldos ‘voaram’

O forte vento que se fazia sentir na manhã de ontem fez ainda com que os toldos que servem a esplanada do bar do miradouro do Pico dos Barcelos se desprendessem, ameaçando quem lá se encontrava.

Segundo a empresária que explora esse estabelecimento, a Direcção Regional do Património e de Gestão dos Serviços Partilhados, concessionária do espaço, nada fez, apesar de sucessivos contactos, uma vez que seria a entidade competente. Entretanto, com a ajuda de alguns populares, Fátima Guedes conseguiu retirar os toldos, que se encontravam a embater nos vidros do estabelecimento.

No entanto, a PAGESP fez chegar à nossa redacção uma nota onde esclarece que “a manutenção do espaço e equipamentos afectos à Cafetaria do Pico dos Barcelos é da responsabilidade da arrendatária”. Além disso, acrescenta que “assegurou resposta, prestado os esclarecimentos adequados e enviado de imediato, um técnico ao local afim de verificar os estragos”.

Mau tempo também no mar

O mau tempo também se fazia sentir no mar e não deixou sair nem entrar navios no Porto do Funchal. Consequência da agitação marítima, dois navios cruzeiro que tinham previsto zarpar durante a noite de segunda-feira, permaneceram ‘retidos’ no interior do porto.

Em contrapartida, outros dois cruzeiros, ambos provenientes das ilhas Canárias, que deveriam acostar ontem de manhã na infra-estrutura portuária, viram-se impedidos de fazê-lo. O Nowergian Spirit, que tinha escala prevista na Região até às 16 horas, seguiu rumo ao próximo destino, Málaga, Espanha. O outro navio, o Aidasol, rumou a Fuerteventura.

Avisos prolongados

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prolongou os avisos amarelos para a chuva e o vento forte no arquipélago da Madeira.

Assim, todo o arquipélago da Madeira estará sob o aviso amarelo até às 6 horas desta madrugada, devido a previsão de aguaceiros por vezes fortes. Já o aviso de vento forte de Nordeste com rajadas até 100 km/h é válido para as regiões montanhosas até às 9 horas de quinta-feira.