Unidade de Saúde Familiar realizou mais de 7 mil consultas médicas

Comparando o 4º trimestre de 2016 e o mesmo período de 2017, houve mais 37% de actividade

13 Mar 2018 / 02:00 H.

Nos primeiros quatro meses de existência (entre 27 de Setembro e 18 de Janeiro) os resultados da Unidade de Saúde Familiar Novo Sol (Ponta do Sol) são muito positivos. De tal forma que a Secretaria Regional de Saúde já pensa em criar outras mais na Região, como aliás disse Pedro Ramos, secretário regional, na apresentação dos indicadores de produção do SESARAM, relativos ao ano passado.

De acordo com o primeiro balanço feito pelos responsáveis a USF Novo Sol realizou um total de 7.295 consultas médicas (programadas, não programadas, indirectas e em visitação domiciliária) em menos de 4 meses. O maior número de consultas (3.723) realizou-se na Ponta do Sol, seguindo-se o polo dos Canhas (com 3.379), tendo o polo da Madalena do Mar apenas somado 193 consultas.

Refira-se ainda que quase metade destas consultas (3.465) integram-se na listas das programadas. Seguem-se as indirectas (2.206). as não programadas (1.506) e finalmente aquelas em visitação domiciliária (115). Não houve, no período em causa, qualquer consulta mediante necessidade de autorização.

No que se refere à agenda da Enfermagem, registou-se no mesmo período, um total de 6.431 actividades, entre consultas (2.818), tratamentos (2.144) e visitas domiciliárias (1.469). Neste âmbito, o maior número de actividades foi desenvolvido no polo dos Canhas (3.200), seguindo-se a sede (2.976) e o polo da Madalena do Mar (255).

Os números são satisfatórios sobretudo quando comparados os número do 4º trimestre de 2016 no anterior sistema de Centros de Saúde daquela localidade e com as actividades desenvolvidas no último trimestre de 2017 já como USF Novo Sol.

Resultados directos e indirectos

Se entre Outubro e Dezembro de 2016, os Centros de Saúde do concelho da Ponta Sol realizaram 4.090 actividades (consultas autorizadas, indirectas, programadas, não programadas e visitas domiciliárias), no último trimestre de 2017 a USF Novo Sol realizou 5.594 actividades (consultas indirectas, programadas, não programadas e visitas domiciliárias), o que corresponde a um aumento de 37% na produtividade daqueles espaços.

Mas não é só nas actividades desenvolvidas na USF que os bons resultados estão à vista. Há indicadores indirectos que também saltam à vista da Secretaria Regional da Saúde e que estão relacionados com a afluência ao Serviço de Atendimento Urgente (SAU) da Ribeira Brava, a que muitos utentes da Ponta do Sol se dirigem quando não encontram resposta localmente. Se nos últimos três meses de 2016 houve 6.915 atendimentos no SAU da Ribeira Brava, no último trimestre de 2017 registaram-se 6.420 atendimentos, o que significa uma diminuição de 7,2%.

8.733 utentes inscritos

A 18 de Janeiro de 2018 estavam inscritos na USF Novo Sol 8.733 utentes, sendo 4.845 na Ponta Sol, 3.507 nos Canhas e 381 na Madalena do Mar.

A USF desenvolve a sua actividade na área de influência do Centro de Saúde da Zona Oeste, no Concelho da Ponta do Sol, abrangendo as freguesias da Ponta do Sol, dos Canhas e Madalena do Mar e funciona três estruturas físicas separadas: Sede Ponta do Sol, Polo Canhas (Tito de Noronha) e Polo Madalena do Mar.

É constituída por uma equipa multidisciplinar, composta por médicos (Elsa Teixeira, Emilie Serrão, Francisco Macedo, Kevin Rodrigues e Sandra Macedo), enfermeiras (Gilda Santos, Graça Cardoso, Lina Leça, Marlene Moirinho, Nídia Freitas, Sandra Freitas, Susete Cécia) e secretariado clínico (Fátima Pita, Fernanda Olival, Isabel Fernandes, Martinha Nascimento e Rubina Gouveia).

A equipa tem como objectivo oferecer à população inscrita na USF vários programas estabelecidos na Carteira Básica de Serviços, nomeadamente Saúde Infantil e Juvenil; Planeamento Familiar; Saúde Materna; Rastreio Oncológico; Vigilância de utentes com Diabetes Mellitus; Vigilância de utentes com Hipertensão Arterial; Consulta Domiciliária; Vacinação; e Saúde do Adulto.